Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

COLUNA DO LEITOR


As Organizações Globo, A Petrobras e o PT.


José O Zelão Vieira Reis. 


A campanha anti-petista das organizações Globo ao longo dos anos é intensa, mas nunca foi tão forte quanto agora; parece que estamos vivenciando um terceiro turno permanente das eleições/2014. De um lado, é o candidato derrotado (em todos os sentidos) fazendo eco às vozes insanas de alguns desiludidos pedindo um novo golpe militar, clamando pela volta da ditadura; De outro lado é a Globo, com todo o seu poderio, tentando a todo custo – utilizando-se dos mais vis mecanismos -, fortalecer estas vozes.
Até aí dá para entender, senão vejamos: a Globo foi o principal porta-voz do golpe e da ditadura militar e seu sustentáculo até o final; para isto ganhou de presente, além de concessões e poder de monopólio em todo país, isenção e poder inquestionável de sonegação de milhões, quiçá de bilhões de reais; dívida esta que está sendo questionada pelos órgãos públicos e que certamente será cobrada legalmente. Ora, se as organizações Globo são favoráveis à ditadura, não é apenas por serem antidemocráticas, mas é também pelo desejo de manter o monopólio da “informação”, sem pagar os devidos impostos – é o velho mecanismo do “toma-lá-dá-cá” ou, como dizia a vovó, “uma mão lava a outra”.


Dentre os diversos mecanismos que esta “organização” utiliza para tentar barrar o avanço e o fortalecimento da democracia, temos: o monopólio da informação - esta sai esta não sai; maquiagem da notícia; perseguição a políticos do PT e de partidos aliados e a pessoas a eles ligadas; blindagem (proteção) a políticos do PSDB e aliados (FHC & Cia); e por fim, pegar alguém ou um órgão público de renome para ser a “noiva” da vez. Tentaram que tentaram por várias e várias vezes (ainda não desistiram) pegar o Lula; deram uma trégua e voltaram toda a artilharia pesada para a Petrobras, com um único e exclusivo objetivo: diminuí-la e desmoralizá-la internacionalmente, para satisfazer à sanha privatista de FHC/PSDB/DEMOS e seus aliados norte-americanos.


“Apesar de você amanhã há de ser outro dia...” (Chico Buarque).
Mas apesar da Globo, do seu grupo, dos seus porta-vozes, das suas mentiras, das suas calúnias - fico com o que a minha mãe me dizia quando eu era criança: mentira tem pernas curtas – a verdade sempre vem à tona; e cedo ou tarde ela prevalecerá.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

SDD - REVIRAVOLTA POLÍTICA OU JOGO DE CENA

Ontem, após a publicação da Resolução do SDD no Blog Sol do Carajás começou a circular nas redes sociais uma série de opiniões e veredictos políticos. A Resolução é clara: determina que todos os vereadores do partido retirem em bloco o apoio ao prefeito Valmir Mariano e entreguem os cargos que assumem na prefeitura. E determina ainda que seja instaurada comissão processante com a finalidade de cassar o mandato do prefeito.

Muita gente ficou animada e criou-se um alvoroço em torno do assunto. A sessão na Câmara dos vereadores (que foi a primeira ordinária do ano) ficou lotada por populares que correram para lá achando que iria acontecer uma revolução. O prefeito por sua vez convocou todo o seu secretariado e ordenou que levasse seus funcionários para se fazerem presentes e, assim, intimidar os vereadores de sua base que ameaçava chutar o pau da barraca. Veja só o nível do desespero: a sessão solene de abertura dos trabalhos legislativos de 2015 que aconteceu na segunda de carnaval (16/02) onde os secretários e o próprio prefeito deveriam lotar a tribuna de honra foi solenemente ignorada, comparecendo apenas o Chefe de Gabinete e mais uns dois. Vá entender.

Análise política


Muita gente me perguntou no que daria essa resolução. Por isso resolvi escrever essa pauta. Em primeiro lugar temos que analisar friamente os personagens dessa história, e, em segundo lugar analisaremos o perfil do Partido Solidariedade (SDD).

Personagens:


Quem é o principal cacique político do SDD no Estado? É o deputado federal Wlad (esse mesmo com nome de vampiro). O Wlad é o tipo de personagem polêmico e que não tem medo de se expor. É um aliado de primeira linha do Jatene e quando o governador precisa de alguém para uma tarefa suja é ele quem é convocado. Tanto Wlad como o partido Solidariedade são aliados incondicionais do Jatene, que por sua vez é (ou era) aliado do Prefeito Valmir.

Outro personagem dessa história é o Danilo Trento, aquele que vendeu uma fortuna em contraceptivos para a Prefeitura de Parauapebas. Comenta-se que ele estaria P. da vida por nunca ter recebido a fatura. Consta que o empresário Danilo é um cacique que manda no SDD e que teria colocado o novo presidente estadual com a missão de dar uma prensa no prefeito de Parauapebas onde há a maior bancada.

Perfil do Solidariedade (SDD)


Quando me perguntaram se a resolução do SDD teria algum efeito prático, fui categórico e respondi: NÃO. Até hoje o único partido que baixava resolução com poder de cumprimento e com consequências drásticas para o não cumprimento era o PT. Digo era, pois hoje já não é mais. Prova disso foi a recente resolução municipal determinando que todos os vereadores do PT deveriam ser oposição ao governo Valmir e assinar a CPI da Saúde. O Euzebio e o Miquinha ignoraram solenemente. Nem assinaram a CPI e nem deixaram de dar apoio incondicional ao Valmir, e nada aconteceu.

Assim, o Partido Solidariedade que já nasceu como um partido talhado para apoiar o poder a nível estadual, não tem esse perfil de se rebelar contra governos, de se dedicar a causa dos fracos e oprimidos e nem de defender a ética e a justiça social a qualquer custo. Veja bem: não estou criticando o SDD, partido onde tenho muitos amigos. Só estou falando o óbvio: essa história de mandar a bancada romper de vez com um prefeito, de entregar cargos e afastar um prefeito aliado por corrupção não faz parte da prática do SDD.

Como a bancada de Parauapebas reagiu?


Muitos foram à Câmara para assistir a revoada do SDD em bloco para a oposição. Seria o apocalipse anunciado. Para decepção não foi bem assim. Apenas o Charles que já é oposição, leu a resolução no Grande Expediente. Os demais fizeram um silêncio sepulcral. No finalzinho, na hora das explicações finais o vereador Odilom partiu para cima do Charles dizendo que ele não foi ético ao expor um documento interno do partido na tribuna. (Como se o documento ainda fosse segredo do SDD!). A indignação do Odilom foi seguida por Devanir e pelo Brás.

Outro que se manifestou no grande expediente foi o vereador Josineto. Reclamou muito da falta de atenção do prefeito e do episódio do carnaval. Disse que o G-5 agora seria G-6. Josineto está na oposição? Calma! Ainda não, pois em nem um momento do seu discurso entregou os cargos e a secretaria de Cultura que é quota sua no governo Mariano. Pode até ser que entregue, mas até o momento ainda não fez, portanto, continua governo.

O que há por trás da Resolução do SDD?


Analisem comigo: o que levaria um partido que é base do Jatene, que tem a maior bancada na Câmara do município mais rico do Brasil e que faz parte do grupo político que dá sustentação política ao Valmir da Integral? Por que o governador Jatene deixaria um partido aliado escrachar de vez e pedir a cabeça de um prefeito seu de uma cidade importante como Parauapebas? 

A resposta é óbvia: estão entregando os anéis para não perder os dedos. Jatene já deu o caso Valmir como um caso perdido. O governador tem informações privilegiadas, por isso convocou o Deputado Wlad para limpar o meio de campo. Assim, quando o caldo do Valmir entornar, o SDD tiraria proveito da situação e não afundaria junto. Mas pelo andar da carruagem, os vereadores locais querem mesmo morrer abraçados ao Valmir.

Algo inédito está para acontecer em Parauapebas. Não posso adiantar nada agora, mas teremos trovoadas e tempestades como nunca visto por aqui. Aguardem! 

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

CINQUENTA TONS DE HIPOCRISIA

Inicialmente o título dessa postagem seria "AS VIÚVAS DE FHC E AS CABRITINHAS DO AÉCIO", mas por sugestão de uma moça mudei para o título acima. Achei mais adequado para o tema pois "AS CABRITINHAS DO AÉCIO" poderia soar ofensivo.

Após a eleição que consagrou Dilma legitimamente para mais um mandato no segundo turno, iniciou uma espécie de terceiro turno. Um movimento histérico como nunca visto na história mundial tomou conta das redes sociais. No início, alguns artistas e políticos decadentes até tentaram levar esse movimento para as ruas, mas sem sucesso. Mas qual o motivo dessa histeria toda?

Desde as manifestações que tomaram as ruas em junho de 2013, a direita apostou na fácil derrota da Dilma e no retorno do PSDB ao poder. Esse partido nunca se conformou em perder o poder para um metalúrgico em 2002, e de lá para cá vem fazendo tudo para retomar esse poder por todas as vias. Para isso vem contando com a ajuda sistemática e aberta da grande mídia como Rede Globo, Estadão, Folha de São Paulo, Revista Veja, entre outros. Assim, com as manifestações de junho, apostaram alto na vitória e a deram como certa, chegando ao ponto de incentivarem uma campanha de ódio e hostilização dos filiados e simpatizantes do Partido dos Trabalhadores no estilo neo nazista. A loucura dessa turma era tanta que chegaram a apostar e contribuir com o fracasso da copa só para desgastar o governo Dilma.

O grande problema é que enquanto essa ala conservadora hostilizava e boicotava o governo esquecendo de preparar o território político, o governo continuou trabalhando e apostando alto na política de aproximação com o povo. Enquanto os tucanos faziam arruaça, o governo Dilma ampliava o acesso dos jovens à universidade, ampliava o programa mais médicos trazendo médicos cubanos para os rincões e interiores do Brasil onde nossos médicos se recusavam a trabalhar, ampliava o programa Minha Casa Minha Vida, entre outros programas sociais. E a turma da direita conservadora continuava a fazer arruaça e a comemorar a vitória antecipadamente. Eu mesmo fui vítima dessa arruaça enquanto assistia a um jogo da copa na casa de uma tia. Um dos convidados sem noção, em pleno momento futebolístico, ao descobrir que eu era do PT passou a me hostilizar com as frases que só saem das bocas dos imbecis: "todo petista é ladrão", "cambada de vagabundos, 2014 vem aí e nós vamos expulsar esses bandidos para sempre". O que eu fiz? Fiz o que qualquer pessoa sensata faria, pois não adianta argumentar com gente desse nível. Melhor seria argumentar com uma bactéria. Dei um sorriso, levantei-me e deixei o recinto.

Pois bem. Como todos já sabem a eleição que foi disputadíssima foi um balde de água no chope dos que davam a vitória como certa. Um exemplo de loucura e decadência que cito entre tantos foi o caso do cantor Lobão. Falou com todas as letras que se a Dilma fosse eleita iria embora do Brasil. Para nosso azar o Lobão não tem palavra.

Histeria coletiva


Sabe aquela história do menino mimado que joga com o primo mais velho e quando perde grita e rola no chão? A mãe ao invés de educar seu filho mimado, paga para o primo deixá-lo ganhar sempre para evitar as crises de histeria. É mais ou menos assim que está acontecendo com uma parcela dos eleitores do Aécio. Digo uma parcela pois se eu generalizasse, estaria cometendo a mesma estupidez dessa turma. 

Após a derrota, o cambaleante Aécio com a sua trupe passou a agir como um bando de neuróticos, espalhando nas redes sociais todo tipo de lixo, da forma mais baixa e vil possível. Apostam no caos do país e chegam a vibrar de forma irresponsável quando acontece algum fato negativo. Atribuem todas as mazelas do país a Dilma da forma mais infantil. Outro dia vi um na minha rede social culpando a Presidenta pela situação de abandono de uma estrada estadual. 

Tons de hipocrisia - a indignação seletiva


Só para ilustrar: um ladrão arranca uma bolsa de uma moça na rua e sai correndo e gritando no meio da multidão: "pega ladrão, pega ladrão!" A multidão corre para cima da vítima e o ladrão escapa ileso. É mais ou menos isso que está acontecendo no Brasil. Um bando de aves de rapina que sempre dilapidou o Brasil, de repente virou guardiões da ética, da honestidade e da moralidade. Um bando de corruptos que estão acostumados com todo tipo de roubalheira, um bando de parasitas, de repente se apresentam como mocinhos vítimas do sistema.

Antes que algum apressado justifique, esclareço que lutar contra a corrupção no Brasil, lutar contra os altos impostos, lutar contra o aumento dos combustíveis, lutar contra a desigualdade e outras mazelas que nossos políticos insistem em manter é uma obrigação patriótica de todos os brasileiros. Eu pessoalmente tenho muitas críticas aos governos Lula e Dilma. Agora falar que a corrupção foi inventada pelos governos petistas, que nunca viram nada igual é uma confissão de burrice e hipocrisia.

Fazendo um raio X desses "indignados" com a corrupção percebe-se facilmente os tons de hipocrisia: são pessoas (em sua maioria) atreladas a algum político corrupto a nível municipal, estadual ou mesmo federal. Que moral o cara tem de bradar contra a corrupção se no município está apoiando um prefeito ou um vereador corrupto? Não é estranho isso?

Onde estavam esses indignados quando o Fernando Henrique comprou por $200 mil os congressistas para votarem a favor da reeleição? (Se você desconhece esse episódio sugiro que dê uma estudada, pois foi amplamente divulgado pela imprensa à época e como sempre foi engavetado). Onde estavam esses indignados quando o FHC gastou 50 milhões de dólares só para mudar o nome da Petrobrás para Petrobrax? Depois que foi denunciado de que se tratava der uma manobra para vender nossa estatal, voltou atrás e o dinheiro foi pelo ralo. Onde estavam esses cabritinhos indignados quando o desemprego cresceu 38% no governo FHC? Onde estavam esses indignados quando 56% dos jovens estavam fora da escola no ano de 2000? Onde estavam esses indignados quando o país alcançou a marca vergonhosa de 50 milhões de indigentes em 2001 segundo a Fundação Getúlio Vargas?

Fico feliz quando vejo a PF botando corruptos graúdos na cadeia. Isso é sinal de que o Brasil está mudando. Agora fico indignado com a cara de pau desses novos revoltados que pregam o ódio generalizado servindo de "cavalo do cão" para uma elite histérica e desesperada.

Infelizmente a corrupção no Brasil é endêmica e possui raízes históricas. Felizmente, nos dias atuais não está mais sendo jogada para debaixo do tapete como era antes. Nunca se roubou tanto nesse país como nos governos do período militar e no período Fernando Henrique. Continua existindo corrupção no governo Dilma? Continua sim. Não somos cegos. A diferença é que agora a corrupção não é acobertada pelo governo, não vai para debaixo do tapete.

Impeachment é MEUZOVO


Sou contra a banalização nos debates políticos e, principalmente de uso de termos chulos. Acho que o Brasil passa por uma fase que merece um debate sério e baseado em fatos históricos. Só assim avançaremos. Porém, ao ler os comentários nas redes sociais, veremos que os termos são tão chulos, tão desprovidos de qualquer resquício de inteligência que a única resposta possível é a ironia. Vejam esses aqui por exemplo:

"Que bom se não existisse o FHC os Petista não teriam figurado na história como os maiores bandidos que a humanidade já conheceu... O mair rombo desde as construções das pirâmides. Tenha santa paciência vão pegar uma troxa de roupa suja pra lavar enquanto é tempo, essa bagunça só conseguiremos limpar é com vassourada mesmo e bem grande..."


***

"E uma pena que vc (...). Não sinta mais orgulho desse país. ..pois se sentisse não defenderia de modo algum..esta forma corrupta de governar...O mundo todo rir do Brasil...nao dar mais pra esconder metade de todos os grandes petistas estão preso e a parte boa toda saiu deste partido...esse partido tem que ser extinto por ato militar ..até se for acaso de uma intervenção do próprio êxercito e melhor a ditadura do que este partido de facista e hipócritas."

(Transcritos do WhatsApp com os erros ortográficos)


Agora me digam: alguém que tem coragem de escrever umas sandices dessas em redes sociais merece ser levado a sério? Alguém com esse perfil que prega a ditadura militar, que desrespeita seres humanos com generalizações banais tem moral para lutar contra qualquer corrupção? Alguém com essas idéias merece ser levado a sério? Para esses casos, o melhor é ignorar. Não debata com gente com essa visão, pois é perda de tempo. Melhor mesmo é deixá-los falando sozinhos. 

domingo, 22 de fevereiro de 2015

UM POUCO DE HISTÓRIA PARA OS DEFENSORES DA ÉTICA NA POLÍTICA

Para quem já esqueceu, veja aqui um resumo de como foi o governo Fernando Henrique. Por isso que dá nojo ver os defensores desses caras hoje defendendo a ética e a moralidade na maior cara de pau. Falam na maior cara dura que nunca viram tanta roubalheira. Onde estavam esses caras de pau? Por que nessa época ficaram caladinhos como cordeirinhos?

Lutar contra a corrupção e por um Brasil melhor é dever de todos os brasileiros. Agora, discurso hipócrita e indignação seletiva é imoral tanto quanto os desvios na Petrobrás.

Aqui não estamos mostrando versões de blogs ou revistas de esquerda. Selecionamos manchetes de revistas e jornais da grande mídia que sempre foi complacente e cúmplice da turma do FHC e companhia. Analisem e tirem suas conclusões.

32 capas de jornal que vão te lembrar do Brasil dos anos 90 e governo FHC


por Thiago dos Reis





























É como fizeram com a Vale do Rio Doce já faziam com a Petrobrás: encolhem a empresa para que ela desvalorize e seja mais fácil para vender barato.

































Além de tudo FHC quase acabou com o plano Real.


















A FALSA MORAL DE ALGUNS BRASILEIROS



Recebi esse texto via WhatsApp. Uma pena que não veio com o nome do autor. Achei interessante e compartilho com meus leitores.

Tá Reclamando do Lula? do Serra? da Dilma? do Arrruda? do Sarney? do Collor? Do Renan? do Palocci? do Delubio? Da Roseanne Sarney? Dos politicos distritais de Brasilia? do Jucá? do Kassab? dos mais 300 picaretas do Congresso?

Brasileiro Reclama De Quê?
O Brasileiro é assim:
1. - Saqueia cargas de veículos acidentados nas estradas.
2. - Estaciona nas calçadas, muitas vezes debaixo de placas proibitivas.
3. - Suborna ou tenta subornar quando é pego cometendo infração.
4. - Troca voto por qualquer coisa: areia, cimento, tijolo, e até dentadura.
5. - Fala no celular enquanto dirige.
6. -Trafega pela direita nos acostamentos num congestionamento.
7. - Pára em filas duplas, triplas em frente às escolas.
8. - Viola a lei do silêncio.
9. - Dirige após consumir bebida alcoólica.
10. - Fura filas nos bancos, utilizando-se das mais esfarrapadas desculpas.
11. - Espalha mesas, churrasqueira nas calçadas.
12. - Pega atestados médicos sem estar doente, só para faltar ao trabalho.
13. - Faz " gato " de luz, de água e de tv a cabo.
14. - Registra imóveis no cartório num valor abaixo do comprado, muitas vezes irrisórios, só para pagar menos impostos.
15. - Compra recibo para abater na declaração do imposto de renda para pagar menos imposto.
16. - Muda a cor da pele para ingressar na universidade através do sistema de cotas.
17. - Quando viaja a serviço pela empresa, se o almoço custou 10 pede nota fiscal de 20.
18. - Comercializa objetos doados nessas campanhas de catástrofes.
19. - Estaciona em vagas exclusivas para deficientes.
20. - Adultera o velocímetro do carro para vendê-lo como se fosse pouco rodado.
21. - Compra produtos pirata com a plena consciência de que são piratas.
22. - Substitui o catalisador do carro por um que só tem a casca.
23. - Diminui a idade do filho para que este passe por baixo da roleta do ônibus, sem pagar passagem.
24. - Emplaca o carro fora do seu domicílio para pagar menos IPVA.
25. - Freqüenta os caça-níqueis e faz uma fezinha no jogo de bicho.
26. - Leva das empresas onde trabalha, pequenos objetos como clipes, envelopes, canetas, lápis.... Como se isso não fosse roubo.
27. - Comercializa os vales-transporte e vales-refeição que recebe das empresas onde trabalha.
28. - Falsifica tudo, tudo mesmo... Só não falsifica aquilo que ainda não foi inventado.
29. - Quando volta do exterior, nunca diz a verdade quando o fiscal aduaneiro pergunta o que traz na bagagem.
30. - Quando encontra algum objeto perdido, na maioria das vezes não devolve.
E quer que os políticos sejam honestos...
Escandaliza- se com a farra das passagens aéreas...
Esses políticos que aí estão saíram do meio desse mesmo povo ou não?
Brasileiro reclama de quê, afinal?
E é a mais pura verdade, isso que é o pior! Então sugiro adotarmos uma mudança de comportamento, começando por nós mesmos, onde for necessário!
Vamos dar o bom exemplo!
Espalhe essa ideia!
"Fala-se tanto da necessidade de deixar um planeta melhor para os nossos filhos e esquece-se da urgência de deixarmos filhos melhores (educados, honestos, dignos, éticos, responsáveis) para o nosso planeta, através dos nossos exemplos..."

sábado, 21 de fevereiro de 2015

CONSELHOS DE UM VELHO SÁBIO A UM JOVEM FILÓSOFO

Numa certa manhã de uma quarta feira cinzenta o jovem Ziul estava meio nostálgico e mergulhado em seus pensamentos. Naquele dia em especial estava acabrunhado e melancólico. Talvez fosse pela energia da data que sempre foi muito forte em sua vida. Tempo de quaresma que ele aprendera guardar ritualisticamente com sua família desde a infância, e aquelas coisas do tipo "quarenta dias para reflexão", quarenta dias sem cometer excessos", "jejuar toda quarta e sexta em todo o período e se abster de carne vermelha nesses dias", e outras tradições que ele seguia mais por força do hábito do que por religiosidade.

Mas o que lhe deixava inquieto não era nada ligado a religião ou ao tempo da quaresma. Uma angústia existencial inquietava-lhe a alma a ponto de lhe sufocar. Estava mesmo deprimido. 

Como estava de recesso no seu trabalho, naquele dia acordou cedo mas ficou na cama sem coragem para levantar, e não era ressaca de carnaval. Enquanto olhava para o teto do seu quarto, pensou nos últimos anos de sua vida. Como um filme, foi vendo cada detalhe, cada conquista, cada decepção, cada alegria, cada tristeza. E inevitavelmente lembrou dos amigos e conhecidos que havia perdido. Alguns perdera para a morte. Alguns morreram de morte natural, outros morreram assassinados e outros por acidente. Mas a pior perda foram aquelas em que os amigos continuavam vivos. Lembrou que nos últimos anos havia perdido alguns amigos por divergência, por intolerância e até por traição. E isso lhe deixava ainda mais triste. 

O jovem Ziul se sentia como um guerreiro cansado. Apesar da pouca idade, sentia como se carregasse um enorme fardo sobre suas costas. Gastou toda a sua juventude lutando por princípios que acreditava serem os mais puros e corretos. Viveu sempre lutando por uma sociedade mais ética, mais civilizada e de valores solidários. Desde a adolescência lutava por esses ideais da forma mais pura, cristalina e, até com uma certa ingenuidade. Em nome desse sonho acalentado pelos seus mestres e ídolos abriu mão de muitas coisas.

Agora se via numa encruzilhada. Apesar de jovem, já era maduro o bastante para perceber que a realidade era bem diferente do que sempre sonhara. O homem não é essencialmente bom como sempre acreditou. As pessoas de todas as classes, de todas as ideologias, de todas as matizes tinham interesses inconfessáveis. "Estaria a sociedade pervertida e sem solução?" - Pensou com um misto de decepção e desespero. Tantas pessoas ditas boas, tantos cristãos, tanta gente virtuosa demonstrando na prática que existe dois lados: o que se prega e o que se faz na realidade debaixo de sete capas, sob o manto da hipocrisia. Enquanto pensava cantarolava a música do Cazuza: "meus heróis morreram de overdose, meus inimigos estão no poder..."

Vagando em seus pensamentos, o jovem filósofo se sentiu só e chorou. Chorou sozinho em seu quarto. Um choro incontido e silencioso. Se sentia meio deslocado do mundo, como um ser de outra galáxia, muito distante do seu tempo. Seu coração palpitava de tanta angústia. Parecia que ia explodir. 

Levantou-se meio tonto. Precisava respirar um ar puro. Foi até o banheiro e mirou-se no espelho. Assustou-se com sua imagem refletida. Parecia um velho. As rugas ao redor dos olhos lembravam que o tempo estava passando e que ele tinha que correr. Mas correr para onde? E agora José? Já não era tão jovem assim. "O tempo não para".  "Preciso fazer algo! Não posso sucumbir dessa forma. Quem sabe tenho que mudar a direção do meu caminho?!" - pensou o jovem num lampejo de esperança. 

Foi então que lembrou de um velho amigo que há muito não  via. O tempo e a rotina haviam-no afastado. O velho Sócrates era daqueles gurus iluminados que inspirava confiança e segurança. Sempre nos momentos difíceis os amigos recorriam aos seus conselhos e ele estava sempre disponível com um sorriso franco. "Como não lembrei disso antes? Como fui me afastar tanto assim do meu velho mestre?" - Pensou o jovem filósofo com um leve sorriso de esperança. Tudo o que precisava naquele momento era conversar com um ser iluminado, com alguém que fosse capaz de sustentar uma conversa sincera sem banalidade e sem futilidade. Estava decidido. Foi procurar o velho amigo.

O jovem Ziul tomou um banho e resolveu ir a pés na casa do velho Sócrates. Como já não tinha mais seu numero na agenda do seu smartphone, resolveu arriscar e ir sem prévio aviso. Chegou em sua casa por volta do meio dia e quando percebeu a hora ficou envergonhado. Este, parece que já estava esperando-o. Correu em sua direção de braços abertos e deu-lhe um forte abraço. 

- Que bons ventos o traz aqui? - Perguntou sorridente o velho Sócrates.

- Estava passando por aqui e resolvi encostar. - Respondeu Ziul meio encabulado. - Mas acho que cheguei em mal hora. Nem percebi que já era meio dia.

- Que bobagem. Eu acordei agora. Sabe como é né? Mesmo depois de velho não perdi a mania de gostar da folia do Rei Momo. Falou dando uma piscadela e puxando o jovem Ziul pelo braço em direção a cozinha.  - Me conte, como estão as coisas? Sente-se aqui enquanto eu preparo um café. Você ainda aprecia um bom café não é? - Perguntou sorrindo.

-Claro meu amigo. Vamos tomar um café e conversar. Preciso muito conversar com esse velho amigo. - Falou Ziul mais a vontade.

O velho Sócrates já com seus setenta anos era uma espécie de guru, de anjo e protetor. Sua mente estava sempre a mil e mesmo sendo de uma geração mais antiga, estava sempre atualizado e cheio de novidades. Conversar com ele era sempre um alento, uma alegria, uma banho de cultura, uma aula de civilização que só os mais privilegiados podiam desfrutar. Sem preconceitos, sem dogmas e sem frescura, estava sempre disposto a ouvir a qualquer um e a qualquer hora. Não havia um ser nessa terra capaz de sair de uma conversa com esse velho sábio sem alterar seus conceitos, seus pontos de vistas. Vivia só, mas por conveniência. Quando sua esposa faleceu os filhos já estavam adultos e preferiu não constituir outra família. Diziam as más línguas que o único defeito do velho Sócrates era amar várias mulheres ao mesmo tempo, por isso, não quis mais se apegar a uma só. Sua casa era como um templo da sabedoria onde as portas estavam sempre abertas para uma conversa e para uma rodada de viola. Assim era o velho Sócrates.

O que era para ser um café se estendeu para um lauto almoço que os dois prepararam. Na mesa as 15 horas degustaram uma caldeirada de tucunaré com tucupi e jambu, regada a um vinho tinto.  Essa era uma estratégia de Sócrates. Tinha o dom de perceber quando alguém estava com um problema e envolvia-o com conversa frugal antes de deixá-lo tratar do problema propriamente dito. Dizia que era uma espécie de maturação do espírito. "Antes de tratar um problema, é melhor esquecer dele para não deixar as emoções embaçar a razão", dizia o velho sábio.

- Então meu amigo Sócrates, menti para você quando cheguei aqui. Na verdade hoje amanheci sufocado, com vontade de morrer, meio bronqueado com o mundo. Então resolvi procurar o amigo para conversar e não estava passando por acaso como falei antes. - Confessou Ziul mais animado.

- Eu sei meu amigo. Percebi logo que o avistei. Senti sua áurea cinzenta e um peso enorme sobre sua cabeça. -Respondeu Sócrates com um sorriso brilhante.

- Pois é. Nem foi preciso falar dos meus problemas. Esse nosso bate-papo, esse ritual de preparar o peixe me deixou completamente curado de minhas feridas que trazia na alma. Você é mesmo um velho bruxo. - Disse Ziul apertando o ombro esquerdo de Sócrates. 

Sócrates deu uma estridente gargalhada e se levantou puxando o amigo pelo braço. 

- Vamos caminhar um pouco para fazer a digestão. Hoje vou quebrar a rotina e não vou dormir após o almoço. O amigo ficou muito tempo sem me ver e sabe como sinto sua falta. Você é como um filho rebelde, é meu discípulo mais querido. - Falou enquanto trancava a porta da frente.  - Mesmo não tendo te visto e não tendo conversado com você nos últimos tempos, tenho acompanhado sua luta e sei das suas dúvidas. - Falou segurando no braço de Ziul.

- Pois é mestre. Estou meio confuso. As vezes sinto que estou sozinho no mundo, mesmo estando rodeado por multidões. - Desabafou o jovem.

- Sei como é isso meu filho. As vezes me sinto assim também. Na verdade, pessoas como nós estão de fato sozinhas no meio da multidão. Essa geração de hoje tem valores muito diferentes dos nossos, tem idéias distorcidas da realidade, tem interesses difusos do que realmente importa. Por isso nos sentimos assim, isolados, meio esquisitos. 

- Parece que o mestre está lendo meus pensamentos. Era exatamente assim que eu me sentia quando acordei hoje de manhã. Vejo a sociedade se deteriorando, vejo pessoas ditas inteligentes praticando todo tipo de insanidade e as vezes me pergunto se não sou eu que estou ficando louco. - Desabafou Ziul.

- Não. Não estamos ficando loucos. O nosso erro foi nascer com um senso crítico mais apurado do que o da grande maioria. Nosso pecado é ter a capacidade de adquirir conhecimentos que a grande maioria nem imagina, de saber filtrar informação, de desvendar a realidade de forma lógica. Conhecimento demais dói meu filho. Você não se lembra daquela música do Maluco Beleza? Como era mesmo? - Perguntou Sócrates sorrindo.

"É pena não ser burro, não sofria tanto" (Só pra variar - Raul Seixas). Os dois saíram cantando um trecho da música em voz alta sob os olhares espantados dos transeuntes. 

- Então me diga mestre. O que fazer? Sinto que estou perdendo amigos. A cada dia me sinto mais só. Mesmo que me esforce não consigo conviver com tanta ignorância, com tanta hipocrisia, com tanta futilidade. Quando olho o que se publicam por aí nas redes sociais então! Dá vontade de vomitar. As pessoas estão perdendo o senso do ridículo.

- Eis a questão meu jovem brilhante filósofo. Você é um ser iluminado e não escolheu ser assim. Apenas é e pronto. Mas pense no lado bom da coisa. Pense que você é um rei com dois olhos em terra de cego. - Respondeu Sócrates sorrindo.

- Mas do que me vale ter dois olhos em terra de cegos e se sentir só, isolado e até discriminado? - Indagou Ziul meio confuso.

- Aprenda a usar mais seus dois olhos meu filho. Use principalmente o olho interior. Aprenda a viver nessa sociedade. Não tente mudá-la a qualquer custo. Tudo acontecerá ao seu tempo. O lado bom de envelhecermos é que vamos aprendendo a exercitar a tolerância, a paciência e a compaixão. Não se angustie tanto assim. Não precisa se rebaixar para se igualar aos infelizes mortais, mas aprenda a se adaptar.

- Mas como poderei me adaptar mestre? Terei que me fingir de néscio? - Indagou Ziul com os olhos arregalados.

Nesse momento o sol já estava se pondo e os dois caminhavam as margens de uma lagoa que ficava na saída leste da cidade. 

- Vamos parar um pouco aqui. Observe o Sol. O que está vendo? - Perguntou Sócrates.

- Vejo que ele está se pondo. Parece que está mergulhando no lago.

- Aí é que está o "xis" da questão. O sol não está se pondo. A Terra é quem está girando ao redor do Sol que continua no seu lugar há bilhões, há trilhões de anos. - Respondeu Sócrates com um sorriso enigmático.

- Desculpe minha ignorância mestre. Sei que a Terra gira em torno do Sol. Apenas dei uma resposta no senso comum. Mas não sei onde você quer chegar.

- Eis a questão. Você sabe que o Sol está lá e que a Terra gira. Mas não ficou mais poético e bonito dizer que o Sol está mergulhando na lagoa? Assim é nossa sociedade. Ela é composta por gente comum, com pouco conhecimento. Se você sai por aí falando da teoria heliocêntrica a cada pôr do Sol, vão te chamar de louco, de chato. - Disse Sócrates com um leve sorriso.

- Bingo! Acho que entendi onde quer chegar. 

- É claro que entendeu meu jovem filósofo. Não temos que aceitar a hipocrisia, o preconceito, a banalização das idéias, a intolerância religiosa, o preconceito racial, o machismo e outras abominações da espécie humana. Mas temos que saber que isso existe em nossa sociedade e temos que aprender a conviver com isso. Veja bem: eu disse aprender a conviver, e não aceitar. - Alertou o iluminado mestre.

- Mas mestre, isso não é contraditório? Quando fui seu aluno não era você que nos ensinava a lutar contra tudo isso?

- Sim. Lembro-me muito bem. Mas temos que lutar com as armas certas e no tempo certo. Não podemos esperar que essa geração vazia tenha a mesma capacidade de compreensão que nós temos. Lembre-se de que como disse bem Jesus Cristo, essa sociedade está cheia de hipócritas que gostam de aparecer nas esquinas, de ocupar os primeiros lugares, de dar esmolas em público e propagandear a falsa caridade. Lembre-se das pessoas que são como sepulcro caiados: por fora está tudo bem, mas por dentro estão podres. E geralmente essas pessoas tem muito mais capacidade de influenciar e convencer os outros do que você que é um sábio limpo. E não adianta querer mudar isso da noite para o dia, pois Jesus veio ao mundo para nos alertar e nos preparar e deu no que deu. Jesus provocou uma mudança profunda na humanidade mas não mudou a todos e não mudou de repente. Até hoje esse processo continua e de forma lenta e gradual. Portanto meu filho, não sofra. Aprenda ser tolerante e paciente. Se for preciso, se misture as ovelhas, se iguale a elas para não ser excluído. Se finja de morto para papar o defunto. - Disse soltando uma gargalhada.

O jovem Ziul baixou a cabeça e ficou por um instante refletindo. Sócrates se afastou um pouco e ficou agachado jogando pedrinhas no lago e observando os transeuntes. Ziul se aproximou e disse:

 - Daqui para frente não vou ficar mais tanto tempo sem te ver. Essa tarde valeu por meus últimos dez anos de aprendizagem mestre. - Falou dando-lhe um longo abraço.

- Quando quiser estarei a sua disposição meu filho. O prazer foi todo meu e lembre-se que você sempre foi meu aluno preferido, o mais brilhante de todos. E, só mais uma coisa: "não jogue pérolas aos porcos". Dê seus ensinamentos a quem realmente precise e procure. Não adianta querer fazer um cego ver a luz e não adianta tentar convencer os ignorantes. Quando estiver num debate, use apenas a razão e quando alguém começar a usar a emoção ou argumentos vazios, sacuda as sandálias e saia dali. Não lance suas sementes em terrenos pedregosos ou arenosos. 

- Acho que já ouvi isso em algum lugar. - Respondeu Ziul com um sorriso enquanto se despedia do mestre Sócrates com um afetuoso abraço e, de longe gritou:  - Ah, mestre, aquela sua frase que falou na nossa formatura está anotada no meu caderno e agora mais do que nunca compreendo o seu significado.

"Eleve sua luz e deixe que os puros se iluminem e os tolos se ofusquem e se ceguem".





quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

SE EU MORRER ANTES DE VOCÊ

Depois de passar o feriadão do carnaval intoxicando meu cérebro com tantas mensagens negativas, com tantas informações desinformadas, com tantos venenos destilados e disfarçados de caridade (sim, pois toda caridade anunciada ou propagada não passa de hipocrisia), com tantas mensagens que propagam o ódio, a discriminação, a intolerância, a violência, o preconceito que circulam livremente nas redes sociais propagadas por "cidadãos do bem", por "seres iluminados", por "gente que quer a paz e o amor entre os irmãos", ofereço aos amigos essa singela mensagem do Pe. Zezinho.

Que todos possam refletir e que desfrutem de uma boa quaresma. Que essa quarta feira de cinza possa transformar em pó tudo o que nos diminui como ser humano. Eis a mensagem:

Se eu morrer antes de você,
faça-me um favor:
Chore o quanto quiser,
mas não brigue com Deus
por Ele haver me levado.
Se não quiser chorar, não chore.
Se não conseguir chorar,
não se preocupe.
Se tiver vontade de rir, ria.
Se alguns amigos contarem
algum fato a meu respeito,
ouça e acrescente sua versão.
Se me elogiarem demais, corrija o exagero.
Se me criticarem demais, defenda-me.
Se me quiserem fazer um santo,
só porque morri,
mostre que eu tinha um pouco de santo,
mas estava longe
de ser o santo que me pintam.
Se me quiserem fazer um demônio,
mostre que eu talvez tivesse um pouco
de demônio, mas que a vida
inteira eu tentei ser bom e amigo.
Espero estar com Ele o suficiente para
continuar sendo útil a você, lá onde estiver.
E se tiver vontade de escrever
alguma coisa sobre mim,
diga apenas uma frase:
- "Foi meu amigo,
acreditou em mim
e me quis mais perto de Deus!"
- Aí, então, derrame uma lágrima.
Eu não estarei presente para enxugá-la,
mas não faz mal.
Outros amigos farão isso no meu lugar.
E, vendo-me bem substituído,
irei cuidar de minha nova tarefa no céu.
Mas, de vez em quando,
dê uma espiadinha na direção de Deus.
Você não me verá, mas eu ficaria muito feliz
vendo você olhar para Ele.
E, quando chegar a sua vez de ir para o Pai,
aí, sem nenhum véu a separar a gente,
vamos viver, em Deus,
a amizade que aqui nos preparou para Ele.
Você acredita nessas coisas?
Então ore para que nós vivamos
como quem sabe que vai morrer um dia,
e que morramos como
quem soube viver direito.
Amizade só faz sentido se traz o céu
para mais perto da gente,
e se inaugura aqui mesmo o seu começo.
Mas, se eu morrer antes de você,
acho que não vou estranhar o céu...
"Ser seu amigo...
já é um pedaço dele..."
Padre Zezinho


terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

ELES VOLTARAM!

"Catitu fora da manada é janta de onça".


Ontem (16), em plena segunda feira de carnaval os vereadores retornaram ao trabalho com a "famosa" sessão solene que marca o início dos trabalhos legislativos do ano. Como estou em plena festa de momo - e minha religião não permite que eu perca essa festa - não estive presente, mas mandei um dos nossos correspondentes para acompanhar tudo de perto.

A sessão aconteceu dentro do script, uma espécie de repetição, uma edição das sessões solenes anteriores. Como sempre o prefeito não compareceu para demonstrar o quanto despreza o Poder Legislativo, e, como sempre os vereadores da base de apoio repetiram o mantra "agora vai, esse ano será o ano das obras de Parauapebas, o Prefeito arrumou a casa agora vai mostrar serviço, blá, blá, blá..." Só uma coisa fugiu do script ensaiado: dois vereadores da base fizeram um ensaio de rebeldia. A vereadora Luzinete soltou os cachorros para cima do prefeito e reclamou muito da falta de respeito que tem com os edis. Disse que marca reunião com o prefeito e, depois de três horas de chá de cadeira, aparece uma secretária e diz que ele não poderá recebê-la. Fala sério! Será que o prefeito realmente faz isso com os vereadores? Será que existe um só vereador que se submeta a esse escárnio? Não acredito. Acho que a irmã Luzinete exagerou um pouco.

Outro vereador que ensaiou uma pequena rebelião foi Odilom. No seu discurso ameaçou deixar o cargo de líder do governo e até de se aliar a oposição. "Se o povo tá reclamando é porque realmente a administração não está boa", destacou o vereador Odilom. Realmente não entendi a rebeldia do Odilom. Depois do episódio humilhante onde o prefeito mandou sua nora fazer um Boletim de Ocorrência Policial contra o vereador, todos - inclusive eu - tinham a certeza que o caldo entornaria e o vereador passaria para a oposição. Aconteceu exatamente o contrário: Valmir mandou dar a SEMMAS (Secretaria de Assistência Social) para o Odilom e tudo ficou resolvido. Agora não entendi mais nada. Preciso observar mais essa movimentação política para ver onde vai dar. 

Um observador político infiltrado na base do governo me garantiu que tudo não passa de cena. Essa rebeldia é uma espécie de choro de bebê para atrair mais atenção da velha mãe. "O menino esperneia, grita, ameaça, mas depois, basta um pequeno afago e tudo volta ao normal", disse o observador. No momento, só nos resta ficar de olho nesse jogo de xadrez aos avessos.

O estreante Presidente da Câmara vereador Brás citou uma frase no mínimo intrigante: "Catitu fora da manada é janta de onça". Será? Para quem não conhece, catitu é uma espécie de porco que sai em bando comendo e destruindo tudo o que encontra pela frente, deixando a maior sujeira e um mau cheiro característico. Só me resta uma dúvida: quem será a onça? Será que na visão do Brás a onça seria o Valmir? 

Pelo lado da oposição também o script foi seguido sem novidade. Vamos aguardar a sessão ordinária para ver se haverá algo de novo no front. Teremos alguma novidade na CPI da saúde? Teremos a CPI do lixo? 

Agora vamos aproveitar o último dia de folia de momo e pedir a Deus que nos livre dos catitus e das onças. E se não for pedir demais, que nos livre também das hienas e dos urubus.


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

PF e o boato sobre confisco da poupança





Por Eduardo Guimarães, no Blog da Cidadania:


Não estou entre os que fazem tiro ao alvo contra o ministro da Justiça, mas, às vezes, tenho vontade de me juntar a eles. O que este post relata só ocorre por inação das autoridades.

Veja só, leitor, na imagem acima, o boato que a turma que quer ditadura ou impeachment anda espalhando via Facebook.


Essa vergonha passou a sexta-feira inteirinha no ar e, até a noite de sexta, não havia um comunicado oficial da Caixa, nenhum desmentido oficial.

Senhor ministro, não é a primeira vez que esse tipo de coisa acontece. Até hoje estamos esperando os culpados pelo boato de que o Bolsa Família seria extinto…

Você dirá que é uma fraude evidente. Quem elaborou essa farsa é, claramente, um analfabeto funcional. Mas ser ignorante não atenua culpa.

Quantas pessoas humildes essa farsa enganou? Eis a questão.

Pode ter certeza, leitor, de que, a esta altura, há muita gente humilde preocupada. Sabe como é o Facebook, o que postam lá espalha-se como fogo. Principalmente se for lixo.

Semana que vem, essas pessoas que toparam com a farsa e se deixaram enganar provavelmente vão correr à Caixa para sacar suas economias.

Por qualquer critério, trata-se de um crime contra o sistema financeiro. Quem promoveu a farsa tem que responder pelo que fez. Penalmente. Sem complacência.

A página que promoveu essa farsa foi removida. Chama-se – ou chamava-se – “Eu odeio Dilma”. Foi criada no Paraná. O link está abaixo.

https://www.facebook.com/EuOdeioDilma

As autoridades competentes têm que responsabilizar o autor disso de modo a evitar que a impunidade anime outros a promover pânico.

Não se sabe se foram muitos ou poucos que caíram nessa farsa, mas, seguramente, haverá gente prejudicada.

No limite, um boato como esse poderia gerar pânico, sofrimento e inclusive prejuízos à instituição financeira vitimada pelos bandidos.

É essa gente que quer o impeachment de Dilma, que quer a volta da ditadura militar. É gente que não presta. Quem anda com gente assim vai descobrir que se meteu em uma fria.

Aguarda-se providências das autoridades competentes.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

PARAUAPEBAS AMANHECE DE LUTO

Morreu nessa madrugada o empresário Evaldo Benevides num trágico acidente automobilístico. Evaldo iria passar o carnaval em Barra do Corda-MA e dirigia seu veículo quando colidiu frontalmente com um caminhão. Junto com ele viajava o empresário Lucas Resplandes que também morreu.

Evaldo era um empresário muito conhecido e querido em Parauapebas. Pioneiro em nosso município, iniciou junto com a família um pequeno empreendimento que logo se transformou na loja de maior sucesso em Parauapebas - Lojas Opção. Foi Presidente da ACIP - Associação Comercial e Industrial de Parauapebas - e Secretário Municipal de Saúde na gestão de Darci Lermen.

O Blogger lamenta por essa irreparável perda de um cidadão de bem do nosso convívio e roga a Deus que conforte o coração dos seus familiares nessa hora tão difícil.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

SEXTA-FEIRA 13 - AGUENTA PARAUAPEBAS

Yo no creo en brujas, pero que las hay, las hay. 


Essa frase "Eu não creio em bruxas, mas que elas existem, existem", é um dito popular castelhano que se popularizou no Brasil no século XX. Como o brasileiro (a maioria) é muito apegado a superstições e crendices populares, é de bom tom não ignorar as coincidências que marcam o nosso lendário popular, em especial sobre a sexta-feira 13.

Se você é supersticioso ou mesmo que não seja, mas seja curioso, confira as informações acerca desse dia:


Hoje é sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015. O dia, comemorado por muitos por anteceder o carnaval, também é temido por aqueles que acreditam em superstições.

E a má fama da data vem de longe. Como o ano tem 12 meses, o zodíaco 12 signos e Jesus tinha 12 apóstolos, o número 13 é considerado irregular, incompleto e de azar. Além disso, na última ceia de Jesus, estavam presentes 13 pessoas, e a última carta do Tarô, a número 13, representa "a morte". Também reza uma antiga lenda escandinava que, após a conversão dos nórdicos ao cristianismo, Frigga, a deusa do amor e da beleza, teria sido transformada em bruxa e, para se vingar, reunia-se todas as sextas-feiras com 11 bruxas e um demônio, somando 13 'seres do mal'. Eles lançavam feitiços sobre os cristãos.



Outra lenda da mitologia nórdica também conta que foi dada uma festa para 12 deuses e que Loki, considerado espírito do mal, não foi convidado. Ele então compareceu para provocar briga entre os presentes e, durante a confusão, o deus Balder morreu.

Deixemos um pouco de lado essas crenças repassadas de geração a geração, para fazer uma análise sobre fatos históricos ocorridos em "sextas-feiras" 13.

Em 13 de outubro de 1307, a Ordem dos Templários foi declarada ilegal pelo rei Filipe IV da França. A ordem era formada por um grupo de cavaleiros e sacerdotes que protegiam cristãos durante peregrinações. Sob determinação do rei, os Templários foram torturados e aprisionados em masmorras para confessar heresia.

Já no Brasil, o período mais sombrio da ditadura militar, vigente de 1964 a 1985, foi decretado em 13 de dezembro de 1968. Chamado de Ato Institucional 5 (AI-5) , decreto suspendeu direitos constitucionais, apertou a censura e deu plenos poderes ao presidente da República. Na Alemanha, o Muro de Berlim, que dividiu o país, teve construção iniciada em 13 de agosto de 1961, sexta-feira. Nos Estados Unidos, a data é bastante temida. O acidente com a espaçonave Apollo 13, lançada em 1970, foi creditado por muitos ao número da missão.


Se você acredita em superstições, veja dicas para passar ileso pela data. Mas, se não acredita, aproveite o dia para comemorar o início do feriado mais festivo e animado do Brasil:


- Saia da cama com o pé direito

- Aposte no banho de sal grosso

- Carregue consigo amuletos como figas, pés de coelho ou olhos gregos. Se você é religioso, use alguma medalha cristã

- Invista na essência de eucalipto para purificar sua casa ou local de trabalho


- A arruda é uma ótima aliada. Pode ser usada para decorar a casa ou em chás 

Fonte: Clarissa Damas.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

DÂMOCLES - SÓ PARA OS CURIOSOS

Conselheiro da corte de Dionísio o Velho, tirano de Siracusa, célebre ao longo da história, pelo lendário episódio da Espada de Dâmocles, que se tornou uma expressão que significa perigo iminente. Relatado por Cícero, em Tusculanae disputationes, e por outros clássicos, o acontecimento é resumido assim: Era uma vez, um rei chamado Dionísio, monarca de Siracusa, a cidade mais rica da Sicília. Vivia num palácio cheio de requintes e de coisas bonitas, atendido por uma criadagem sempre disposta a fazer-lhe às vontades. Naturalmente, por ser rico e poderoso, muitos siracusanos invejavam a sorte do soberano e ele, que era dos melhores amigos de Dionísio, e dizia-lhe freqüentemente: - Que sorte a sua! Você tem tudo que se pode desejar. 

Só pode ser o homem mais feliz do mundo! Dionísio foi ficando cansado de ouvir esse tipo de conversa e então lhe propôs que ocupasse seu lugar por uma única noite, o que foi prontamente aceito. E então, no dia seguinte, foi levado ao palácio e todos os criados reais lhe puseram na cabeça as coroas de ouro. Ele sentou-se à mesa na sala de banquetes e foi-lhe servida lauta refeição. 

Nada lhe faltou ao seu bel-prazer. Havia vinhos requintados, raros perfumes, lindas flores e música maravilhosa. Recostou-se em almofadas macias. Sentiu-se o homem mais feliz do mundo. Ocupou, assim, o lugar do tirano, recebendo todas as honras correspondentes ao cargo. No meio de sua euforia, levantou os olhos e viu, assustado, que, presa ao teto apenas por uma linha, uma enorme espada pendia sobre ele. Provavelmente o sorriso fugiu-lhe dos lábios e o rosto empalideceu, suas mãos estremeceram, esqueceu-se da comida, do vinho, da música. A lâmina brilhava, apontando diretamente para seus olhos. 

Ele foi se levantando, pronto para sair correndo, mas deteve-se tremendo que um movimento brusco pudesse arrebentar aquele fiozinho fino e fizesse com a espada lhe caísse em cima. Dionísio, então, explicou-lhe que via aquela espada todos os dias, sempre pendente sobre sua cabeça, pois sempre haveria a possibilidade de alguém ou alguma coisa partir o fio. Por exemplo, um dos seus conselheiros poderia ficar invejoso do seu poder e tentar lhe matar, as pessoas poderiam espalhar mentiras a respeito do rei para jogar o povo contra ele, um reino vizinho tomasse seu trono etc. 

E assim, muitas outras situações de risco poderiam acontecer. Para ser rei precisava-se estar disposto a aceitar esses riscos, levar uma vida cheia de ameaças e que, se ele queria exercer tal função, mesmo que por uma só noite, tinha de suportar a presença inquietante da espada durante todo o banquete. Até o fim de seus dias, o conselheiro da corte não voltou a querer trocar de lugar com o rei, nem por um instante sequer. 

Fonte: http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/