Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 25 de maio de 2015

QUESTIONAMENTOS DOS LEITORES

Alguns leitores me fazem alguns questionamentos através da caixa de comentários. Nem sempre dá para publicar todos, mas alguns, faço questão de responder nessa coluna. Portanto, sempre que possível, usarei esse espaço para prestigiar o leitos, respondendo aos seus questionamentos.

Então vamos aos questionamentos:

Luiz, vc escreve bem, porém suas matérias, são muito longas, conheço varias pessoas que reclamam disso, vc deveria com a capacidade que tem, resumir melhor os conteúdos, é uma dica, foca mais em outros tipos de matérias de interesse comum, a população de Parauapebas esta de saco cheio da Politica Local. Crie novos tópicos pq entre todos os blogues só o seu tem credibilidade para isso.

Anônimo(a), obrigado pelo elogio e pelo prestígio de tê-lo(a) como leitor(a). Concordo com você que meus textos são longos e dificulta a leitura de grande parte do público. Já ouvi isso de outras pessoas. Sei que, se escrevesse textos mais curtos, atingiria um público maior. Porém, prefiro textos mais argumentativos, e assim, fica difícil ficarem curtos. 
Quanto a pauta política, você também tem razão. Eu também já estou cheio dessa política de Parauapebas. É uma pena que a maioria não pensa assim como você, pois escrevo textos interessantes fora da pauta política e pouca gente se interessa. Agora, quando é política, o contador de acessos estoura. Vá entender!
Outro dia, escrevi um texto sobre isso. Em sua homenagem vou reeditá-lo hoje à tarde. Fique ligado(a).
Obrigado e volte sempre.

Como prometido e com um pouco de atraso, segue o texto em homenagem ao leitor:


Criei esse Blog com a intenção de ser apenas um diário para divulgar minhas aventuras no Caminho de Santiago. Mas antes mesmo de iniciar a viagem para Compostela, comecei a enveredar nos textos políticos e gostei. O primeiro texto para valer foi postado no dia 03 de abril de 2013. Daí em diante não parei mais. A cada acontecimento que considerava relevante, a cada fato, corria para o computador e um turbilhão de ideias surgia na cabeça.
Um amigo me recomendou a escrever textos mais curtos para ter mais acessos. Argumentou que o leitor de Blog geralmente tem preguiça de ler textos longos e prefere as tirinhas e de preferência com muita fofoca e malícia. É claro que não concordei. Existem “leitores” e “leitores”. Escrever com o objetivo de ganhar mais acessos não é minha praia. Escrever fofocas e malícias muito menos. Prefiro os textos que apresentam uma linha de argumentação, um conjunto de ideias, e não dá para ser texto curto. Assim, o Blog vai conquistando aos poucos os leitores que apreciam uma leitura com conteúdo, com polêmica e um pouco de pimenta. Mesmo aqueles que não concordam com o que escrevo, acabam engrossando o rol de leitores.
Em pouco tempo percebi que a cada dia aumentava o número de leitores. Constantemente pessoas me abordam na rua e falam que leem meu blog todos os dias e elogiam. Isso me faz ser mais cuidadoso e mais criterioso. Escrever e ter suas ideias apreciadas ou criticadas pelo público exige muita responsabilidade e bom senso. E em se tratando de pauta política a responsabilidade aumenta ainda mais, pois estamos mexendo num vespeiro onde predomina muitas vezes a vaidade e a falta de bom senso. Mas é meu tema preferido. Mesmo causando polêmica, mesmo correndo risco de morte, mesmo colecionando desafetos, me sinto impulsionado a discorrer sobre esse tema.
Mas nem tudo é política. Ao longo desse período escrevi sobre diversos temas: música, poesia, filosofia, cultura, de tudo um pouco o leitor encontrará no Blog do Luiz Vieira.

(Amanhã teremos outros questionamentos)

O MISTERIOSO SILÊNCIO DE BRUNO SOARES

Após o episódio do afastamento do prefeito e da fracassada posse da vice Ângela, o Valmir voltou todas as suas baterias e armas contra o então G-8. Correu para a imprensa como tamanho desespero que rendeu bons rendimentos e enriquecimento a muitos que estavam passando por necessidades; tratou de seduzir com uma polpuda premiação e uma secretaria falida o "intrépido" João do Feijão e de quebra deu um presente de grego à câmara que foi o vereador Zacarias. Aconteceu de tudo (ou quase tudo) nesse período. O G-8 passou a ser G-7 e muitos falam que está mais para G-5.

Até a vereadora Luzinete falou numa sessão que alguém chegou a oferecer-lhe um milhão e meio para ela voltar para o ninho do palácio cinzento. Outros vereadores falaram em tentativa de suborno e em ameaças, mas não foram tão claros e específicos como a Luzinete.

Agora o que mais chamou a atenção dos populares, o que mais está gerando "buxixo" na cidade é o desaparecimento e o silêncio de Bruno Soares. Há muito, ele não aparecia nas sessões e quando apareceu uma vez, entrou mudo e saiu calado. Bruno chegou a falar para amigos que iria na sessão da terça feira passada (19) e que faria sérias denúncias contra falcatruas no SAAEP. Para decepção de todos, o vereador Bruno não apareceu mais uma vez.

Bruno Soares foi o segundo vereador mais votado em 2012 e criou grande expectativa de ser a principal liderança da câmara. Dono de um discurso e um temperamento forte, o vereador demonstrava fôlego para se destacar no cenário político de Parauapebas, e muitos até falavam em se tornar o principal candidato a ocupar a cadeira do palácio dos ventos.

O fato é que inexplicavelmente o Bruno desapareceu. Sua ausência está gerando muitas especulações e boatos que são preocupantes. Alguns falam que o vereador estaria sendo seriamente ameaçado de morte; outros dão conta que estaria sendo chantageado com uma filmagem onde ele apareceria recebendo dinheiro de um agente do governo. Alguém chegou até a dizer que se o vereador falasse qualquer coisa na tribuna contra o Valmir, iria exibir no telão da câmara tais imagens. Outros ainda falam que Bruno estaria doente devido as fortes pressões, e por isso não estaria comparecendo.

Seja qual for o motivo, acredito que o Bruno Soares é um grande vereador e tem condições de dar a volta por cima e voltar a ser aquele vereador vibrante e enérgico. É claro que tem que aparecer e se manifestar. Se tem algum problema, deve ser enfrentado de frente, pois se esconder ou se submeter aos problemas, a tendência é que eles se agravem. Eu mesmo já passei por problemas na administração pública por uma armação de um desafeto e enfrentei-o de frente, de cabeça erguida. 

Se o Bruno cometeu algum desvio de conduta, o único remédio é se retratar. Sua história, sua personalidade e seu histórico familiar lhe dão credibilidade para continuar tendo a confiança da sociedade, não importa qual seja o problema. Meu faro político indica fortemente que se o vereador Bruno retratasse qualquer desvio de conduta ou ameaça, e denunciasse a situação, sairia do ostracismo e se tornaria o principal líder com mais credibilidade entre a população de Parauapebas.

De qualquer maneira, esse blog está de portas abertas para Bruno Soares. Só não vale é aparecer do lado do prefeito, pois os vereadores de oposição que fizeram isso, viraram verdadeiros cadáveres ambulantes.

quarta-feira, 20 de maio de 2015

SESSÃO DE 19 DE MAIO -

Ontem (19) a sessão foi meio assim, "borocoxô", se é que me entende. Com dois vereadores ausentes (Bruno e Odilon), não aconteceu nada de novo, nem uma emoção. Até a polícia que sempre comparece com a tropa de choque preparada para guerra, dessa vez não deu o ar da graça. Acho que alguém deu um toque no presidente que aquela ostentação policial de forma exagerada pega mal, coisa de ditador inseguro.

Mas nem tudo foi insosso. Um grupo de estudantes das escolas estaduais resolveu fazer uma manifestação. Adivinhe quem era o alvo principal? Ele mesmo. O vereador mais famoso e badalado do momento. Com gritos de fora... (não vou colocar o nome dele aqui para não ficar mais famoso), os manifestantes adentraram no plenário com faixas, tambores de lata, caras pintadas e camisetas de protesto. Pena que o vereador não estava lá para receber as homenagens, que foram bem diferentes das que recebeu semana passada preparada "espontaneamente" por empregados.

De costas para os vereadores


O momento mais crítico da manifestação foi na hora do hino nacional. Todos viraram-se de costas para os vereadores e vaiaram. Achei a manifestação inusitada e irreverente. Coisa da juventude. Alguns assessores de vereadores acharam falta de educação, de respeito. No momento que os vereadores começaram a falar no grande expediente, saíram todos, deixando o plenário vazio. Depois voltaram e brincaram de "trenzinho". Confesso que fiquei com vontade de entrar na roda, mas não ia pegar bem um "tiozão" no meio da meninada.

No grande expediente que costuma ser o ponto alto da sessão, foi aquele clima de circo quando o palhaço cai do trapézio e quebra a coluna. Uma tristeza só. Apenas o Pavão e o Josineto falaram, mas já não tinham aquela empolgação de oposição determinada. Muitos comentavam que o G-7 já não era mais 7. Será? 

Novidade mesmo foi só no momento das explicações finais onde cada vereador tem 5 minutos. O vereador Euzébio que nunca abre a boca, dessa vez fez um ensaio de rebelião. Reclamou do  Valmir e disse que ele não cumpre acordos. Será que a fonte secou? Mistério! Todos sabem que o Euzébio é o fiel escudeiro do Valmir. O prefeito chegou a dar um puxão de orelhas nos vereadores da base e mandou que se espelhassem no Euzébio, que nunca lhe dava trabalho e era fiel. Sugiro ao prefeito que trate de cumprir os acordos e agradar muito ao Euzébio, pois perder um aliado assim, será o fim. Só para lembras, o Valmir só é prefeito, graças aos dois petistas - Euzébio e Miquinha.

Além dessa novidade, foi lido uma nota de repúdio do SINTEPP contra o prefeito e a secretária de educação. Segundo a nota, a prefeitura alega não ter dinheiro para pagar as diferenças salariais previstas no Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCR). Pelo jeito, teremos que fazer uma vaquinha para ajudar a pobre prefeitura de Parauapebas.

Saúde em estado de calamidade


A vereadora Luzinete sugeriu que fosse decretado estado de calamidade na saúde de Parauapebas. Segundo ela, a situação está tão crítica que falta até o material de limpeza. Os médicos estão em estado de alerta e podem deflagrar uma nova greve a qualquer momento.

Bancada da educação falha mais uma vez


Ontem o vereador Arenes lembrou dos Estados que estão em greve na educação, que por coincidência, são governados pelo PSDB. É incrível, como os professores vereadores estão esquecidos. O pau quebrando na educação, professores apanhando violentamente da polícia no Paraná a mando do governador Beto Richa, Jatene ignorando, mentindo e zombando dos professores aqui no Pará, e nem um vereador professor se dignou a usar a tribuna para tratar do tema. Felizmente, ontem um vereador agricultor lembrou e fez uma rápida referência no aparte. Alô assessores. Fiquem ligados!

terça-feira, 19 de maio de 2015

VALMIR RIDICULARIZA OS MARANHENSES EM ENTREVISTA NA BAND

Nesse domingo, (17) o prefeito Valmir deu uma inusitada entrevista no programa do Marcelo Bacana de Belém, exibido na Band, canal 30. A primeira novidade é que o Bacana sempre faz suas entrevistas em seu estúdio em Belém. No caso do Valmir, o rapaz se deu ao trabalho de despencar de Belém e vir até o nosso Pebinha para entrevistar o "homi" no conforto e na segurança de sua própria casa. Pense numa brincadeira que custou caro! Dizem que foi para o prefeito se sentir mais a vontade, pois dentro de casa se canta de galo.

A outra novidade foi a presença de uma terceira pessoa participando da entrevista. Isso não é normal para uma personalidade política. Geralmente um prefeito leva seu assessor de comunicação para ficar nos bastidores dando dicas, mas nunca ao lado do entrevistado e fazendo intervenções. Um assessor próximo confidenciou que depois do episódio do Odilon, o staff do prefeito não confiou em deixá-lo ir sozinho para a cova do leão. "O seu Valmir anda meio esquecido e, de vez em quando fala o que não deve. Por isso, não deixamos ele ir sozinho", confidenciou o informante. Bem pensado. O Marcelo Bacana já andou fazendo graves críticas ao Valmir em seu blog. Em uma delas, insinuou que malas de dinheiro voavam em avião do Pebas para Belém.

Marcel na frigideira


A assessoria de imprensa do prefeito definiu que o Marcel Nogueira (ASCOM) participaria da entrevista. O entrevistador Macelo Bacana tem fama de ser ácido, polêmico e de arrancar confissões de políticos. Nada mais adequado a presença do Marcel nos bastidores, pois além de ser o Assessor de comunicação, tem muita competência para a função.

Não se sabe o motivo, mas o prefeito pulou longe. Aceitou o acompanhante, mas teria que ser o blogueiro Zé Dudu. E não é que o homem acertou? Ainda dizem que o velho está caducando! Zé Dudu participou ativamente da entrevista e foi muito eficiente nas intervenções. Acabou livrando o Valmir de várias mancadas. De várias, pois algumas, foram inevitáveis.

A culpa é dos maranhenses desqualificados


Quando questionado sobre o milionário orçamento de Parauapebas e a falta de investimento, o prefeito Valmir falou claramente que esse povo chega aqui sem nenhuma qualificação e só com o dinheiro da vinda. Chegando aqui, engrossam as demandas do município. O Zé Dudu tentou descontrair e falou que segundo a lenda, a então governadora do Maranhão, Roseana Sarney dava R$ 100,00 para cada maranhense que viesse para Parauapebas. O prefeito, em tom de deboche falou que iria dar R$ 200,00 e uma passagem para que eles voltassem. Essa o Zé Dudu não conseguiu evitar e pode custar muito caro para o Valmir. Um político famoso daqui caiu em desgraça depois de comparar os maranhenses com porcos.

Odilon censurado


Quando o entrevistador perguntou ao prefeito sobre a fatídica frase do vereador Odilon que colocou Parauapebas na mídia, o Valmir iniciou a resposta. Só teve a oportunidade de dizer, "Odilon foi infeliz..." Foi cortado bruscamente e de forma humilhante por Zé Dudu que emendou: "Prefeito, voltando a questão das casas..." E pronto. Não se tocou mais no assunto. Esse Zé Dudu é o cara!

Vereadores corruptos


Quando o Marcelo Bacana insistiu para que o prefeito falasse sobre o motivo do motim feito pelos 8 vereadores de oposição que tentaram afastá-lo do cargo, ele classificou como golpe por interesses escusos. E foi mais longe. Com um sorriso de deboche disse que os vereadores queriam mudar de vida da noite para o dia. Essa foi uma clara acusação de tentativa de extorsão e nem o Zé Dudu conseguiu evitar essa declaração comprometedora. Agora vamos ver como se comportarão os vereadores do G-7.

segunda-feira, 18 de maio de 2015

EMPRESA DO IRMÃO DO SECRETÁRIO DE URBANISMO COBRA DÍVIDA DO PREFEITO VALMIR

No dia 11 de maio o prefeito Valmir Mariano recebeu uma notificação do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo - Comarca de Campinas, uma CARTA PRECATÓRIA  com a cobrança de uma dívida de R$ 7 milhões da empresa Lupa Orientação e Consultoria em Marketing Ltda. A dívida, segundo levantamento, trata-se de um contrato para prestação de assessoria na campanha eleitoral do então candidato Valmir da Integral em 2012. Um assessor do prefeito que pediu para não ser identificado confirmou que a empresa foi contratada por decisão isolada do prefeito, mesmo contra a orientação de sua assessoria política. Foi motivo de discórdia na campanha e, no final, fizeram uns acordos que envolveria a coleta de lixo para recompensar o não pagamento.

Veja cópia do processo:




















Um nó político


Quando fizemos o levantamento dos dados da empresa Lupa, eis a grande surpresa: trata-se de uma empresa de Indaiatuba-SP de propriedade de João Aguiar que, por coincidência é irmão do André Rosa, atual secretário de urbanismo de Parauapebas. Como é que pode o próprio irmão de um secretário do governo estar processando e cobrando dívida de campanha?

Até agora ninguém entendia quais os atributos do André Rosa que chegou aqui no final da campanha, e de repente virou secretário de meio ambiente e depois secretário de urbanismo. O que teria levado o Valmir preterir velhos aliados e optar por um forasteiro que nem conhece os bairros de Parauapebas? Não poderia ser uma simples preferência por forasteiro! Havia algo mais nessa preferência.

Com essa cobrança judicial o nó começou a ser desatado. A nomeação do André era apenas parte de um acordo que não foi cumprido. Agora, vendo o governo na bancarrota, próximo do fim, resolveram partir para o tudo ou nada: sem nenhuma esperança de ver seu compromisso cumprido, a empresa Lupa partiu para cobrança judicial. Caso a conta não seja paga, os bens do prefeito poderão ser penhorados.

Um outro nó dessa história é o contrato com a empresa de marketing que não foi declarado à Justiça Eleitoral na prestação de contas. Agora o prefeito vai ter que prestar conta também à Justiça Eleitoral, pois omitir despesa na prestação de contas de campanha eleitoral é crime grave sujeito a cassação de mandato.

Apesar da consistência da ação, apesar da gravidade do caso, muitos apostam que o prefeito tira mais essa de letra e se sairá na boa. Afinal, em Parauapebas, acredita-se que, para quem tem dinheiro está acima dessas bobagens. Eu pessoalmente, acredito que a justiça é imparcial, justa e não se corrompe por dinheiro nenhum. Você não acredita? Então aguarde!

domingo, 17 de maio de 2015

FOGO AMIGO QUEIMA GOVERNO INTEGRAL

Um empresário de São Paulo que é irmão do secretário de Urbanismo do governo Valmir cobra dívida milionária na justiça e cria tumulto no cambaleante governo Integral. Trata-se de uma continha de R$ 7 milhões de um contrato assumido na campanha eleitoral de 2012. 

A justiça já autorizou a execução e os bens do prefeito podem ser confiscados. Esse é apenas o fio do novelo que pode desenterrar uma montanha de lixo que deixará o Ministério Público em situação constrangedora: ou se apura com prioridade ou ficará muito evidente o suposto comprometimento da justiça com a manutenção do governo a qualquer custo.

Veja detalhes nessa segunda-feira aqui no blog.

METANOIA - UM PROGRAMA OBRIGATÓRIO PARA FAMÍLIAS

Em exibição no Circuito Cinema do Partage Shopping de Parauapebas desde o dia 14 de maio, o filme Metanoia não é do tipo que chama a atenção de quem gosta de cinema. Com um elenco modesto (apenas  Caique Oliveira e Caio Blat são conhecidos do público) o filme conseguiu traduzir o medo e a angústia de toda a família brasileira: a entrada das drogas em suas casas.

O filme conta a história de uma mãe que mora no subúrbio do Rio de Janeiro e cria seu filho Eduardo, sozinha. Trabalha duro e faz tudo que uma mãe normal faz por seu filho: educa, dá atenção, dá carinho e cuida para que ele seja feliz. Edu, apesar de viver sem a presença do pai, tem em sua mãe tudo o que uma criança precisa. Filho único, brinca com a molecada na rua enquanto não está estudando. Na adolescência, por não ter irmãos, se identifica mais com um dos amigos, jovem de classe média, com quem mantém uma  amizade sincera e verdadeira. 

Esse amigo (Caio Blat) é descolado e cheio de novidades. É quem leva Edu para umas festinhas descoladas e apresenta uma turma pra lá de animada. Juntos, fumam um baseado de maconha de vez em quando, até que numa dessas festinhas inocentes o amigo lhe oferece um cigarro mesclado com crack. Na próxima oportunidade Edu é convencido a fumar uma pedra. Começa aí seu inferno e o inferno de sua mãe.

Metanoia é um filme despretensioso, mas que deveria ser obrigatório para todas as famílias. Aborda o uso de drogas e suas consequências de forma inteligente, direta, realista e impactante. Infelizmente, não é do tipo que chama a atenção das pessoas e nem lota salas como "Velozes e furiosos" ou histórias de vampiros. Porém, as pessoas de bom senso que valorizam suas famílias deveriam correr já para o cinema.

A idade indicativa é de 14 anos, mas pode levar seus filhos de 12 anos sem medo. Corra já para o cinema com sua família e confira essa linda história com final feliz. Depois comente aqui e ajude mais pessoas a conhecerem essa história.

sexta-feira, 15 de maio de 2015

PREFEITO AFASTADO

Ontem, 14 de maio, a juíza da comarca de Curionópolis, Dra. Priscila Mamede Mousinho determinou o afastamento do prefeito de Eldorado dos Carajás, Divino Alves do Campo e do seu secretário de educação Augusto Cesar, por 90 (noventa) dias. A magistrada acatou o pedido do Ministério Público do Pará que solicitou o afastamento das autoridades por improbidade administrativa.

Além do afastamento por 90 dias, a juíza  mandou bloquear todos os bens e as contas do prefeito e do secretário de educação. Determinou também a quebra do sigilo fiscal e bancário da empresa D.A Costa, suspeita de negócios suspeitos com a administração daquele município.

Esse afastamento que foi pedido pelo Ministério Público e acatado pela juíza da comarca de Curionópolis poderá trazer muita dor de cabeça ao prefeito Divino. Qual foi o seu crime? De acordo com a informação de um funcionário da prefeitura de Eldorado, o prefeito andou usando mal o recurso destinado à educação, e a julgar pelo minúsculo orçamento do município, (que não consta na página da transparência) tudo não passou de uma micharia. Seja um centavo ou um milhão, o Brasil está dando os primeiros passos rumo à intolerância no que diz respeito a corrupção.

Ministério Público tendencioso?


O que chama a atenção é o grande numero de municípios paraenses onde os gestores vem comendo o pão que o diabo amassou nas mãos dos Promotores de Justiça. Todos são municípios pobres, com orçamentos nanicos e sem destaque geopolítico. O que estaria acontecendo? Por que os municípios ricos continuam isentos dessa fiscalização apesar dos escândalos amplamente divulgados?

Enquanto isso em Parauapebas...


Ontem (14) fiz uma chamada sobre essa matéria no face sem identificar o município. Imediatamente meu telefone disparou com inúmeras chamadas e mensagens. Muitos queriam saber se era o prefeito de Parauapebas, e a maioria, na empolgação já comemorava como se tivesse ganhado a copa pelo placar de 8 x 1 sobre os alemães. Cheguei a ficar preocupado com tamanha repercussão. Percebi como o povo de Parauapebas experimenta um sentimento contraditório: por um lado, está descrente com a justiça desse Estado, e por outro lado, espera que um milagre aconteça, e torce para que a justiça abra os olhos para essa cidade e ponha um fim em tantas barbaridades.

Muita calma nessa hora! Pela minha experiência, aposto que os crimes de improbidade administrativa em Parauapebas não continuarão impunes por muito tempo. A justiça pode não acontecer na velocidade e no tempo em que desejamos, mas acontecerá. As barbaridades que são praticadas aqui em Parauapebas, os crimes cometidos, atingiram um grau tão crítico, que é improvável que continuem sendo jogados para debaixo do tapete. Por mais que o Ministério Público seja ineficiente, por mais que haja proteção política e blindagem por parte do governo estadual, por mais que as estruturas estejam corrompidas, a podridão chegou a tal ponto que, torna-se impossível esconder o seu cheiro. E agora que o nosso município foi exposto na mídia nacional, o caldo está mais perto de entornar. Para acelerar esse processo só falta o povo dar uma ajudinha. Um povo apático, que só se manifesta pelas redes sociais acaba sendo cúmplice e fortalece a corrupção e a impunidade. Então, saia desse sofá e bote a boca no mundo, solte o grito que está entalado na garganta.

A impunidade só continuará imperando aqui em Parauapebas e os políticos corruptos continuarão se dando bem na seguinte condição: se todo o sistema judiciário estiver corrompido e não sobrar sequer uma pessoa honesta. Você acha isso possível? Ainda acredito na boa fé e na boa vontade das pessoas. Apesar de parecer o contrário, o bem ainda sobressai no meio da iniquidade.

A julgar pela movimentação das peças, a julgar pelo ato de abandonar o barco feito por alguns figurões do governo Valmir, pelo nervosismo do primeiro escalão, a julgar pelas atitudes dos nossos promotores, Parauapebas poderá ser a bola da vez. Quem sabe o terremoto esteja próximo? 





quinta-feira, 14 de maio de 2015

SBT NACIONAL EM PARAUAPEBAS

Podemos definir a política em Parauapebas em duas fases: antes do pronunciamento do vereador Odilon e pós pronunciamento. Antes, tudo podia acontecer por aqui que ninguém dava a mínima. A grande mídia nem sabia da nossa existência, e nossa pauta política nunca interessou a ninguém fora dos limites do Estado. Notícia nacional daqui dessas bandas, era só para informar uma enchente, e olhe lá.

Agora, definitivamente entramos no circuito da imprensa nacional. Deixamos de ser aquela "currutelazinha" que não interessava a ninguém, e passamos a figurar como debutantes em noite de gala. De repente, todos os holofotes se voltaram para Parauapebas, e tudo graças ao pronunciamento do vereador Odilon. 

Ontem, 13 de maio, dia em que comemoramos a libertação dos escravos pela Princesa Isabel, chegou-nos a informação de que uma equipe do Conexão Repórter, programa do SBT especializado em matérias investigativas, comandado pelo competente Roberto Cabrini, aportou em nosso município. Mal a equipe se hospedou, já se dirigiu à câmara e solicitou oficialmente cópias do áudio e vídeo das últimas sessões. Não confirmamos a presença do Cabrini, mas confirmamos o protocolo de pedido de informações e cópia das gravações de áudio e vídeo feito pelo SBT à câmara municipal de Parauapebas.

O vereador Odilon acabou prestando mais um grande serviço à Parauapebas e poderá se orgulhar no futuro de ter mais essa ação somada ao seu currículo. Por ser um político experiente, ainda vai, de alguma forma se beneficiar desse ato. Com sua declaração, acabou ativando uma bomba relógio que inevitavelmente explodirá. E essa explosão, naturalmente atingirá o palácio dos ventos. Como? Simples. Nosso município atraiu a atenção da grande mídia, e, agora, as lambanças e os absurdos políticos que acontecem por lá, não passarão desapercebidos. E esse povo da imprensa quando resolve fuçar uma história, é igual mosca de padaria. Basta aparecer uma para centenas surgirem do nada.

Propina e suborno de R$ 1,5 milhão


Na última sessão de 12 de maio, a vereadora Luzinete roubou a cena durante seu discurso. Disse que perdeu a oportunidade de dormir pobre e acordar rica, pois foi-lhe oferecido R$ 250 mil para votar para presidente da casa, e, que ela não teria aceitado por princípios religiosos.  E foi além: afirmou que uma pessoa lhe procurou recentemente oferecendo R$ 1,5 milhão para voltar para a base governista. O vídeo com essa declaração já está circulando nas redes sociais, É claro que essa declaração não vai passar em branco, pois mesmo que as autoridades não queiram, terão que averiguar devido a gravidade da situação. Corremos o risco de ter na câmara o efeito dominó: se uma peça cai, inevitavelmente todas cairão. Ou quase todas.

quarta-feira, 13 de maio de 2015

50 DIAS DE ESCURIDÃO

Hoje, 13 de maio de 2015, as escolas estaduais do Estado do Pará completam cinquenta dias de portas fechadas. Os alunos já estão com um prejuízo irreparável. Um prejuízo que é um duro golpe em toda a família, pois esses dias parados comprometem todo o futuro e o sonho dessa juventude. Adeus sonho do vestibular, adeus sonho de progressão, adeus sonho de concluir o ano em 2015! O prejuízo já começou com o atraso do calendário letivo. Enquanto as escolas privadas iniciaram o ano letivo no início de fevereiro, o Estado só foi começar na segunda quinzena de março, e mesmo assim faltando vários professores. Estamos comprometendo ano após anos o futuro de toda uma geração que está crescendo sem expectativas, sem chances e sem rumo.

Hoje a greve dos professores completa 50 dias. São 50 dias de lutas vãs, de lamento sem eco, de humilhação e de descaso. De um lado temos trabalhadores da educação que lutam para garantir o mínimo garantido por lei, que é o pagamento do piso nacional do magistério. Do outro lado, temos um governo insensível à causa urgente da educação. E assim, segue essa queda de braço, esse jogo de cartas marcadas, onde só quem perde são os educadores, os estudantes e as famílias. Mas perde também toda a sociedade, pois a educação que estamos negando a essa geração hoje, nos trará sérias consequências em um futuro próximo.

Hipocrisia, santa hipocrisia


Chega dá asco quando ouço um político falando em priorizar a educação. No Brasil, poucos tentaram de fato priorizar. Chega de prioridades em palanques, chega de mentiras deslavadas. Todos os dias na mídia testemunhamos verdadeiros genocídios na educação em proporções maiores do que ocorreu na era nazista na Alemanha. Os governantes estão torturando e matando milhões de jovens da forma mais cruel. Exagero? Não! Submeter o jovem a esse sistema falido de educação é matá-lo lentamente, de forma penosa e irreversível. Que geração esperamos para o futuro? Quer dizer que só quem pode pagar uma escola particular terá o direito a sobreviver nessa guerra covarde?

Os professores do Paraná apanharam da polícia feito cães danados, feito marginais perigosos. O governador Beto Richa (PSDB) ainda foi para a TV defender a ação da polícia. Aqui no Pará, milhares de professores que vivem em situação de penúria são solenemente ignorados pelo governador Simão Jatene (PSDB). As escolas (a maioria) são depósitos improvisados e nunca sobra dinheiro para manutenção. Mas nunca falta dinheiro para a fiscalização, para o gabinete do governador, para o aparato jurídico do Estado, para as festas etc. Basta você entrar na SEFA e na SEDUC para sentir o impacto da diferença. Na primeira você se depara com o luxo, na segunda, com o abandono. Entre em um tribunal e entre numa escola e compare. 

Onde vamos parar com essa hipocrisia? Que tipo de valorização da educação e dos educadores é essa que só vemos nos discursos? Está na hora de darmos um basta nessa bagunça enquanto ainda há tempo.

Cinquenta dias de escuridão que nos custarão cinquenta anos de atraso.


terça-feira, 12 de maio de 2015

MUITAS EMOÇÕES PARA HOJE

Desde a fatídica sessão de 28 de abril, onde o vereador Odilom Rocha de Sansão, tomado por fortes emoções falou que se um vereador não fosse corrupto não viveria com o salário que recebe, Parauapebas virou o centro da política no Brasil. O negócio esquentou ainda mais quando na sessão seguinte, (5/5) o vereador tentou se explicar e complicou ainda mais a situação. Até o presidente da câmara - vereador Brás - saiu em defesa do colega, mas não adiantou.

Com o pronunciamento do vereador Odilom, que foi amplamente repercutido em rede nacional e nas redes sociais, ficou subentendido que todos os 15 vereadores são corruptos, já que todos vivem bem. Até então, nem um vereador se defendeu. O único partido que se pronunciou oficialmente foi o do próprio vereador Odilom, o Solidariedade (SDD) que no Jornal Liberal disse que abriria um procedimento administrativo para apurar a conduta do vereador. 

Na sessão de hoje, (12/05) espera-se que algum vereador se pronuncie e diga que não faz parte do time dos corruptos. Tentar botar panos quentes hoje, dizer que foi um equívoco, que a fala foi editada, pegará muito mal perante a sociedade. A única alternativa seria dizer claramente que nunca se envolveu em nenhum esquema de corrupção, que nunca recebeu nada além do próprio salário. Quem se atreverá?

E vou logo avisando: terei acesso às imagens da sessão de hoje.

É de suma importância que a população compareça à câmara hoje para testemunhar o comportamento dos nossos vereadores diante desse lamentável episódio.

Um aviso aos navegantes


Qualquer vereador que ousar peitar diretamente o vereador Odilom, terá que estar cem por cento limpo, senão o feitiço vira contra o feiticeiro. Por várias vezes já ouvi o Josineto, o Brás e até o Odilom colocando vereador em saia justa com as expressões "aqui ninguém é santo", "que atire a primeira pedra", "cuidado vereador, pois assim como você sabe do João do Feijão, ele também sabe coisas de você". E o pior é que depois dessas advertências, todos se calaram. 

Vamos aguardar a sessão de hoje, logo mais às 16 horas (horário de Parauapebas, que pode ser 16:30 ou 17h) e ver quem será o grande herói que terá a coragem de se expor diretamente, sem rodeios, sem sofismas e sem medo.

Aviso aos navegantes II


O vereador Odilom citou em uma sessão que eu comandava uma vereadora. E que até o discurso dessa vereadora era determinado por mim. Falou que havia visto uma orientação minha num grupo fechado do whatsapp e que a citada vereadora obedeceu rigorosamente. 

Quero deixar bem claro que não tenho e nem nunca tive nenhuma influência sobre nenhum vereador. Não faço parte de nenhum gabinete e não presto nenhuma assessoria direta ou indiretamente a ninguém daqui. Atualmente, tenho uma empresa de consultoria política e educacional, mas nunca prestei serviço em Parauapebas. Quem sabe no futuro?

Fica a explicação.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

QUANTO CUSTA UM VEREADOR EM PARAUAPEBAS?

Bandeiras em farrapos simbolizam a decadência
A Câmara Municipal recebe mensalmente um valor fixo conhecido como duodécimo. Esse valor é repassado pela prefeitura de acordo com o orçamento municipal. Em 2013 esse valor repassado foi de R$ 29.990,00 (vinte e nove milhões, novecentos e noventa reais); Em 2014 o repasse foi de R$ 38.413,907,00 (trinta e oito milhões, quatrocentos e treze mil, e novecentos e sete reais) e em 2015 o valor previsto no orçamento é de R$ 40.357,633,00 (quarenta milhões, trezentos e cinquenta e sete mil e seiscentos e trinta e três reais).

Na semana que antecedeu o aniversário da cidade de Parauapebas, ficamos famosos em rede nacional depois de uma declaração do vereador líder do governo que todos ficaram conhecendo. Até o principal show do eventos (Detonautas) quase foi cancelado por esse incidente, pois a banda já chegou aqui detonando o vereador Odilom, o que causou irritação no prefeito Valmir. No jornal Bom Dia Brasil da Rede Globo e no Programa Encontro com Fátima Bernardes, bem como no Jornal Liberal e no programa do SBT, os repórteres e âncoras apresentaram estarrecidos uma continha, onde cada vereador custava em média R$ 13 mil por mês, levando em conta despesas com diárias, combustível e outras bobagens.

Apesar de parecer muito esse valor, não está nem próximo da realidade aqui em Parauapebas. Façamos uma continha rápida: Em 2015 o orçamento da câmara é de mais de R$ 40 milhões como demonstrado acima. Esse valor é maior do que o orçamento total de 70% das prefeituras do Pará. Dividido pelos 12 meses do ano dá a bagatela de R$ 3.363,136. Divide-se esse valor pelos 15 vereadores e chega-se a quantia de R$ 224.209,07 (duzentos e vinte e quatro mil, duzentos e nove reais e sete centavos). Esse é o valor que cada vereador custa por mês (eu disse por mês) aos cofres públicos de Parauapebas. E quem paga sou eu, é você, somos nós. 

É claro que cada vereador não embolsa esse valor. Essa é a conta bruta e é destinada para todas as despesas da casa. Por lei, no final do ano a câmara devolveria a sobra aos cofres públicos e poderia indicar alguma obra ou ação para o poder executivo aplicar. Pela lógica, todo ano a câmara deveria devolver pelo menos a metade desse valor, pois todos sabem que, honestamente é impossível gastar toda essa fortuna numa câmara daquele tamanho. Para onde você acha que vai essa diferença? Será que existe algum esquema? Será que existe algum mensalããão? Não sei e nem sou doido de me meter nesse vespeiro. Só sei que gastar mais de R$ 3 milhões por mês numa casa que não consegue manter nem os banheiros limpos, é uma coisa inacreditável. 

Como eu não tenho imunidade e nem a proteção do Estado, deixo a tarefa de investigação desse mistério para o Ministério Público que é pago e tem todas as prerrogativas para isso.

QUANTO CUSTA UM VEREADOR?

Daqui a pouco no blog. Fique de olho e se surpreenda.

sábado, 9 de maio de 2015

UM TRISTE ANIVERSÁRIO.

Imagine a seguinte situação: você é incumbido de fazer uma festa para comemorar o aniversário de um amigo querido. Só que não precisará gastar nem um centavo do seu bolso, pois o amigo deixou uma gorda poupança para você gastar como quiser nesse evento.  Você aluga um espaço e percebe que o local está abandonado e com muita sujeira. Ao invés de fazer uma faxina geral e ornamentar caprichosamente para o evento, decide gastar o mínimo possível na festa e ficar com todo o dinheiro do amigo para você. Então, manda dar uma demão de tinta na frente, poda uma parte do jardim, e improvisa de última hora uma decoração barata e um show chinfrim. No dia da festa, o aniversariante fica surpreso com o evento. Nota que o local está caindo aos pedaços, cheio de lixo, bagunçado, o matagal tomando conta da área livre, além de muitos insetos e animais peçonhentos no recinto. E para piorar, os principais convidados são seus desafetos que tentaram durante toda a sua vida tirar proveito e extorquir-lhe. Logo na recepção, teve que passar por um trote: teve que atravessar um corredor formado por pessoas vestidas de palhaços, onde levou pontapés, dedadas e ouvir insultos disfarçados de elogios. E para finalizar, o banquete tinha gosto de fezes e o vinho, gosto de fel. Já imaginou!

É mais ou menos assim que nossas autoridades estão comemorando os 27 anos de Parauapebas. Pobre cidade! Durante quase três décadas ofereceu riquezas incalculáveis ao seu povo. Contribuiu sucessivas vezes para nos colocar em primeiro lugar no ranking da balança comercial, nos oferece uma natureza exuberante e farta. E o que nossas autoridades dão em troca? Oferecem o desprezo, o abandono, o escárnio. Sugam toda sua riqueza, destroem seus rios, igarapés, morros e vegetação. Destroem tudo em nome de um falso progresso e ainda festejam num banquete particular que mais parece um festim diabólico com rituais macabros.

Nesse dia 10 de maio, onde comemoramos também o dia das mães, nossa mãe Parauapebas amanhece triste e melancólica. O prefeito Valmir nem sequer limpou a faxada do local da festa. Até iniciou o corte da grama dos canteiros centrais em torno da PA, mas abandonou. Até o meio fio que começou a ser pintado ficou pela metade. Parece que alguém roubou a tinta. O lixo está espalhado pelas ruas e serve de alimento para cachorros e cavalos que perambulam livremente nos "pastos" asfaltados.

Ruas intrafegáveis em pleno centro da cidade, ampliação do abastecimento de água abandonada após as eleições, obras paradas, comerciantes quebrados por falta de pagamento da prefeitura, escolas sucateadas e com merenda improvisada, recrudescimento do crime organizado, corrupção, impunidade, vereadores disputando a fatia do bolo podre, são apenas alguns dos cenários preparados a miúde para essa festa. E para botar a cereja no bolo, ficamos famosos em rede nacional. Parauapebas é a terra onde os "pobres" vereadores não sobrevivem com o salário de R$ 10 mil/mês se não for corrupto. Até onde sabemos, todos estão vivendo, e muito bem.

Apesar dos corruptos, apesar dos lacaios que sustentam esse sistema, apesar das pessoas violentas que resolvem suas diferenças à bala, apesar de tudo, parabéns Parauapebas. Desejamos dias melhores a você!


sexta-feira, 8 de maio de 2015

PARAUAPEBAS VIRA NOTÍCIA NACIONAL

Na sessão do dia 28 de abril o vereador Odilom, líder do governo, durante o seu discurso na tribuna declarou publicamente que "um vereador, se não for corrupto, mal sobrevive com o salário que recebe". Essa frase caiu na rede e  viralizou em todos os computadores, tabletes e celulares, causando indignação e perplexidade na população.

Advogado do diabo


Cheguei a defender o vereador aqui nesse blog. Falei que, conhecendo a experiência do Odilom, jamais ele diria isso se não estivesse passando por uma forte pressão e estresse, ocasionada pela difícil tarefa de defender o governo Valmir. Não se sabe porquê, ninguém compreende o que leva um vereador do quilate do Odilom se desgastar tanto e ainda continuar defendendo esse governo. No caso de outros vereadores, até entendemos, pois trata-se de necessidade para não passarem fome, coitados! Mas Odilom, definitivamente não precisa disso.

Achei que na próxima sessão do dia 5 de maio, o vereador Odilom, usando sua experiência e sabedoria iria fazer um rápido pedido de desculpas e se retratar. Bastaria dizer que se equivocou e que não queria ter dito aquilo. Odilom sairia por cima e o povo esqueceria. Ao invés disso, o vereador tentou emendar e ainda acusou os que colocaram o vídeo nas redes sociais de ato ilegal. Será que o Odilon não tem mais assessoria política? Ou será que está tão angustiado a ponto de não ouvir seus assessores? Eu mesmo abandonei a assessoria de um vereador pelo simples motivo de não estar sendo ouvido. Quem sabe esse não seja o caso?

Os vereadores tem que entender que o que eles falam e fazem na tribuna é público e pertence a qualquer cidadão. Outro dia o vereador Miquinha (PT) soltou a seguinte pérola: "essa casa (câmara) tem que tomar vergonha na cara". O pior é que o vereador ficou bravo quando divulguei sua frase aqui e soltou os cachorros e os bodes em cima do blogger. Comportamento típico de meninos mimados, não de autoridades públicas.

Odilom na mídia


Ontem, (7) o discurso do vereador Odilom foi destaque no Jornal Liberal da Globo. Hoje de manhã foi a vez do jornal Bom Dia Brasil exibir a matéria em rede nacional. O apresentador Chico Pinheiro deu destaque a matéria e fez comentários indignados. "Será que esse vereador não sabe o quanto ganha um professor no seu Estado?", disse o apresentador.

Talvez essa matéria passe no Jornal Nacional e contribuirá para reforçar o aspecto negativo do nosso município em plena festa de aniversário. O pior é que o apresentador Chico Pinheiro está longe da verdade quando falou que um vereador chega a custar R$ 20 mil em Parauapebas. Sabe de nada inocente! Depois mostro a vocês quanto custa de fato um vereador em Parauapebas.

A verdade desconcertante do Odilom


Há uma tese que sustenta que quando uma pessoa é submetida a forte pressão psicológica, ela é capaz de falar usando o seu subconsciente. Ou seja: fala aquilo que não quer, o que está processando como verdade no seu subconsciente. Se essa tese estiver correta, Odilom falou sem querer uma verdade nua e crua. Realmente, achar que os edis vivem apenas com seu salário de R$ 10 mil é ingênuo. Não que seja pouco, mas é uma migalha para manter o padrão de vida que os nossos vereadores ostentam. Não é a toa que muitos vereadores odeiam o prefeito Valmir, falam cobras e lagartos pelas costas, e no fim apoiam e defendem-no de forma veemente. O que levaria a isso se não fosse muita necessidade em manter seus privilégios e gordas fatias que mantêm no governo?

"Cala-te boca Luiz Vieira. Não mexa com escorpiões. Lembre-se que você está em Parauapebas!", como disse um amigo infiltrado no palácio dos ventos.

terça-feira, 5 de maio de 2015

COLUNA DO LEITOR - RESPEITE OS PROFESSORES

*Suely Guilherme

Há dias venho acompanhado a luta de educadores no Brasil todo...A luta não é nova, o descaso por esta temática parece ser eterno... Lutamos por uma educação publica, gratuita, de qualidade e para todos... Mas, continuamos a mercê daqueles que preferem não empoderar os sujeitos. Penso que é porque temem no que milhões de brasileiros podem fazer se, realmente forem esclarecidos, se realmente aprenderem na escola que a independência não foi tão romântica quanto dizem, se aprenderem que o educador não desiste porque é funcionário publico e quer trabalhar... Os educadores desistem porque adoecem com a falta de recursos didáticos, adoecem com o salario que só vem com aumento através de poucos que vão para a rua e apanham vergonhosamente da mídia, da policia e de seus governantes; adoecem porque não se sentem seguros na sala de aula... No dia dos professores, são tantas homenagens, mas, o que realmente queremos é reconhecimento através da igualdade salarial equiparada a outros profissionais públicos. O que diria Paulo Freire acerca do ocorrido no Paraná??? O que diria Piaget diante da inercia dos governantes do Pará??? O que diria Vigotski diante de uma PÁTRIA EDUCADORA QUE NÃO SE AUTO EDUCA??? A luta sempre continua, mas uma hora cansa e quando cansar quem terá coragem de educar???

*Socióloga, servidora da Secretaria de Assistência Social de Parauapebas

PT REALIZA ENCONTRO COM MILITÂNCIA MOTIVADA

O Partido dos Trabalhadores reuniu nesse domingo, 03 de maio com seus filiados no Encontro Municipal. O encontro aconteceu no Plenarinho da Câmara Municipal e estava completamente lotado de filiados que passaram o dia debatendo os novos rumos do partido em Parauapebas.

A pauta do encontro foi: conjuntura internacional, nacional, estadual e municipal. Para tratar da conjuntura internacional, nacional e estadual, tivemos como palestrante o presidente estadual Milton Zimmer que explanou sobre a crise internacional e seus reflexos no Brasil e no Estado do Pará. Discorreu também sobre o momento delicado que o PT atravessa devido aos constantes ataques da direita conservadora que não engoliu sucessivas derrotas para o partido.

Vereador Euzébio se declara oposição ao governo Valmir



Mas, o ponto alto do encontro foi o debate sobre conjuntura municipal. A mesa composta pelos vereadores Euzébio e Eliene (PT) apresentaram a situação econômica e política que se encontra o município de Parauapebas. Eliene afirmou, na sua explanação que o governo Valmir tem sido um desastre para todos os parauapebenses. Citou o exemplo das entidades que estão à míngua por falta de repasse de verbas dos convênios e das empresas que prestam serviço para a prefeitura e não recebem.

O vereador Euzébio Rodrigues surpreendeu a plenária durante sua explanação sobre a conjuntura municipal. Ele que vinha mantendo apoio ao governo Valmir desde o início do mandato, agora resolveu se assumir como oposição. Disse que o governo Valmir não tem mais nada a oferecer à Parauapebas e que é importante nesse momento o partido se manter unido em prol de um objetivo maior que é derrotar esse prefeito. Euzébio chamou atenção para a grande crise que o município está atravessando e atribui unicamente a falta de capacidade e responsabilidade do governo Valmir. Enfatizou que a estratégia é fortalecer o nome de Darci Lermen e vai caminhar com ele lado a lado para ajudar a retomar a prefeitura de Parauapebas. Conclamou a militância a esquecer as diferenças e buscar a unidade, "pois somente com a união é que poderemos alcançar nossa meta", destacou o vereador.

Ainda não se sabe se o vereador Euzébio foi influenciado por alguma liderança, ou se foi contagiado pela energia dos militantes presentes no encontro, mas o fato é que ele surpreendeu a todos com seu discurso contra o governo e foi muito aplaudido. Resta agora saber se foi pra valer ou foi empolgação do momento. Os filiados já aguardam ansiosos pelo seu discurso na sessão da câmara dessa terça (5).

O vereador Miquinha também foi outro que deu o tom de oposição no seu pronunciamento. Disse que nunca recebeu nada desse governo e nunca teve qualquer benefício, cargo ou qualquer vantagem. "Andam dizendo por aí que apoio o governo Valmir, mas isso é mentira. Meu compromisso é com o PT. Foi o Movimento Sem Terra que me trouxe para a vida pública e eu honro essa camisa", ressaltou o vereador. Miquinha falou que chegou a receber uma visita de um empresário em sua casa que lhe oferecera dinheiro e secretaria em nome da vice-prefeita Ângela para embarcar na onda de cassar o Valmir. Afirmou que não aceitou pois entende que deixar o Valmir no mandato será melhor para a estratégia para eleger Darci prefeito em 2016.

Os filiados presentes avaliaram positivamente o encontro e elogiaram o alto nível dos debates. "Com certeza saímos mais fortalecidos e motivados para os próximos desafios", enfatizou João Correia. 


segunda-feira, 4 de maio de 2015

PARABÉNS AOS CAMPEÕES

Se o futebol é a alma do brasileiro, nessa segunda, 4 de maio, nosso dia começa assim, com um pouco de euforia, um pouco de ressaca e um pouco de tristeza. Melhor os patrões relaxarem, pois hoje será dia de fogo baixo dentro das empresas e linha de produção. Essa segunda também é o dia nacional da gozação. Os vencedores vão exibir a camisa do seu time campeão e zoar com os amigos e colegas de trabalho. Relaxe! Se seu time não foi campeão, não se irrite, não entre em provocação. Aproveite o clima para se divertir também. Afinal, isso é só futebol.

Só uma torcida não estará muito a vontade para comemorar, apesar de ser campeã. Ganhou bonito, mas terá que enfrentar as gozações e piadas por ter quebrado o jejum de 12 anos. De qual torcida estou falando? Da insistente torcida vascaína que amargava um jejum de título desde 2003. Brincadeira à parte, o Vasco jogou bonito, com garra e decidiu abrir mão do título de vice e venceu o Botafogo por 2 x 1. Em nome do meu amigo Pedro Alcântara, o vascaíno mais insistente e persistente que conheço, parabenizo a todos os cruzmaltinos pela conquista. Podem tirar a camisa do armário, mas cuidado! Não encoste em quem tem alergia a naftalina.

Aqui no Pará, o Remo garantiu a vitória em cima do Independente de Tucuruí. Ao vencer por 2 x 0, o Leão se sagrou campeão e, garantiu vaga na série D do Brasileiro. Agora, ninguém pode dizer que o Remo é um time sem classe.

Em Minas o Atlético Mineiro venceu o Caldense por 2 x 1 e papou mais um título. Em São Paulo o título ficou com o Santos que ganhou do Palmeiras nos pênaltis. No rio Grande do Sul, o Inter venceu seu maior rival - o Grêmio - por 2 x 1 e levou o título. Aqui em Parauapebas o ex-prefeito Darci Lermem comemorou muito esse título.

O título mais comemorado foi o do Bahia. O Vitória da Conquista ganhou o primeiro jogo por 3 x 0 e todos já davam como certo o time do interior como campeão baiano. No Fonte Nova, o Bahia resolveu devolver a goleada em dobro e venceu por 6 x 0 e ficou com o título. Já que meu Mengão não chegou na final, como um bom baiano, sinto-me contemplado com o rubro-negro baiano.

Na terra do babaçu, nosso Maranhão  de guerra, deu o Colorado de Imperatriz. Em uma empolgante partida, o Cavalo de Aço venceu o Sampaio Correia por 3 x 1 e sagrou-se campeão, demonstrando a força do interior.

Parabéns a todos os campeões dos estaduais. 




quinta-feira, 30 de abril de 2015

A COISA TÁ PRETA

Valmir cobra taxa de inscrição na corrida do trabalhador


A situação da prefeitura de Parauapebas está tão crítica que o prefeito Valmir já está apelando para arrecadar dinheiro em evento comemorativo do trabalhador. Todo 1º de maio há esse evento que já faz parte do calendário cultural do município e sempre foi apoiado pela prefeitura. A diferença, é que nesse ano a Secretaria de Esporte e Lazer administrada pelo "grande desportista e competentíssimo secretário" João do Feijão está cobrando $20,00 de taxa de inscrição. 

Portanto, quem quiser correr, terá que participar com esse valor para bancar o evento da pobre prefeitura de Parauapebas. Vamos lá gente. Mesmo que você não corra, se inscreva e contribua com $20,00 para ajudar a tirar a prefeitura do buraco. Quem diria!

Um chefe baixo astral


De vez em quando o município de Parauapebas passa por uma crise. Isso é normal e faz parte do ciclo de desenvolvimento. Só que dessa vez, tivemos um diferencial que agravou ainda mais a crise e está tirando o sono de muita gente: a incapacidade e o baixo astral do prefeito.

Em tempos de crise, o povo precisa de um comandante forte e decidido que anime, que incentive, que encoraje. O prefeito Valmir é o contrário de tudo isso. Está se mostrando um líder cansado, desmotivado e sem energia e criatividade para reagir. Quando alguém o procura para pedir uma luz, ele responde: "se prepare meu filho. Está ruim e vai piorar ainda mais." Além de ter afundado Parauapebas num atoleiro, o gestor ignora a situação do povo e ainda zomba desse povo com propagandas mentirosas e fantasiosas. Confia na impunidade a tal ponto de continuar praticando atos de improbidade administrativa.

Um chefe odiado


Nunca na história desse município, tivemos um prefeito tão odiado e desprezado como temos agora. Até os vereadores da base de apoio e o secretariado destratam-o sem a menor cerimônia. Antes, tomavam o cuidado de esconder a insatisfação. Agora, já falam em público que não veem a hora de se livrarem desse prefeito. 

Aí a falsidade impera. Tem vereador e secretário que faz o jogo do poder, mas, nos bastidores está xingando o Valmir com nomes que nem me atrevo a escrever aqui. A ordem é tirar proveito enquanto é tempo e ficar torcendo pela visita da Polícia Federal e do GAECO a Parauapebas. Se isso acontecer, muitos puxa-sacos de plantão vão falar na maior cara dura: "eu não falei que o velho ia cair!"

Zacarias se revela


Os cidadãos que frequentam a câmara nos dias de sessão já estão com saudade do João do Feijão. Na sessão do dia 28, ele resolveu dar uma passadinha por lá e foi recebido efusivamente pelos presentes, criando um clima de constrangimento na tribuna. As comparações são inevitáveis e a mais recorrente é a de que pelo menos João do Feijão ficava calado ao invés de falar abobrinha. Vá entender esse povo!

quarta-feira, 29 de abril de 2015

SESSÃO DE 28 DE ABRIL - GOVERNO DÁ UM TIRO NO PÉ (OU FOI NO S...?)

Na sessão dessa terça, 28 de abril presenciamos mais uma vez o desespero do governo Valmir e sua base aliada na Câmara. Após uma manobra dos governistas que impediu a entrada do projeto de reajuste dos servidores na pauta na sessão anterior, foi aberta uma verdadeira campanha de linchamento dos vereadores da oposição, o conhecido G-7. Um comunicado do governo foi repetido exaustivamente nos meios de comunicação onde acintosamente atribuíam toda a culpa à oposição pelo não reajuste. A campanha foi tão violenta que valeu aquela máxima: "uma mentira repetida várias vezes se torna verdade".

Como se não bastasse a campanha difamatória, o governo convocou servidores para lotarem a câmara na sessão do dia 28 de abril. Da forma como a discussão do projeto foi direcionada, os vereadores governistas tinham a absoluta certeza de que mais uma vez não seria aprovado e os servidores revoltados promoveriam um quebra-quebra e linchariam os vereadores do G-7. Para você entender: legalmente o projeto teria que passar por duas comissões - Comissão de Constituição e Justiça e Comissão de Finanças e Orçamento. Se resolvessem seguir o Regimento, o projeto não entraria na pauta mais uma vez, pois a Comissão de Finanças e Orçamento não foi composta devido falta de entendimento do Solidariedade (SDD). Era tudo que o governo queria.

Tiro sai pela culatra


O prefeito até suspendeu o expediente e ordenou aos secretários que levassem todos à câmara. Com a câmara completamente lotada por servidores armados de faixas e cartazes, a guerra estava declarada e o resultado prometia ser catastrófico. Os vereadores da oposição perceberam o golpe que estava armado para eles e resolveram reagir. Mesmo descumprindo o regimento, resolveram votar o projeto e usaram a tribuna para denunciar a manobra. Falaram claramente que o prefeito estava tentando tumultuar a votação pois não tinha dinheiro em caixa para pagar o reajuste. Assim, colocaria a culpa na oposição e ganharia tempo.

O que era para ser o massacre da oposição, se transformou num massacre do governo. Cada vereador do G-7 foi aplaudido efusivamente a cada discurso, enquanto os vereadores governistas eram vaiados de forma vexaminosa. A vereadora Eliene chegou a dizer que se o governo diminuísse um pouco a corrupção, o vale alimentação que estava sendo proposto para $400,00 poderia chegar a $500,00. Foi uma péssima ideia o governo querer usar os servidores como massa de manobra. Quem teve essa ideia se esqueceu que o servidor tem pensamento próprio e inteligência para perceberem a realidade.

Bota fogo no sofá


Você conhece a história do marido traído? Um marido chega em casa e encontra a sua esposa se agarrando com o Ricardão no sofá. Revoltado, ele resolve botar fogo no sofá, e assim resolve o problema do chifre.

Foi mais ou menos isso que aconteceu ontem com o presidente vereador Brás. Para tentar resolver os problemas das vaias disse que baixaria uma portaria proibindo os assessores da casa de vaiarem vereadores. E engrossou a voz para avisar que quem descumprisse seria demitido e nunca mais voltaria lá. Será que o Brás se esqueceu que a ditadura acabou? Quer dizer que os pobres vereadores não tem mais direito de decidir sobre seus assessores? Daí lembrei-me da frase de uma música do Zé Geraldo: "quanto mais conheço os ditadores, mais eu amo meu cachorro".

Prefeito Valmir tem novo líder na câmara


Ontem o vereador Miquinha (PT?) fez um discurso que deixou o Odilom preocupado. Se o Valmir tiver um pouco de inteligência, trocará seu líder de governo e nomeará o Miquinha. Ele que sempre ficava em cima do muro, ontem se declarou de vez. Defendeu com veemência o governo e atacou raivosamente seus colegas que fazem oposição. O homem estava tão transtornado que passou por cima do manual de boas maneiras e civilidade e negou "aparte" a dois vereadores durante o seu pronunciamento.

Miquinha foi muito vaiado e populares gritavam "traíra" enquanto ele falava. Militantes do Partido dos Trabalhadores já estão se mobilizando para pedirem a sua expulsão juntamente com a do Euzébio que é governista desde sempre. Sendo expulsos, os dois perderão os mandatos.

Vereador não sobrevive com o salário se não for corrupto


Pasmem! Mas essa frase foi dita por Odilom durante o seu discurso. Falou que nem sabe se quer continuar vereador, pois não vale a pena. Reclamou do baixo salário de apenas 9 mil reais, enquanto um secretário ganha 14 mil. Disse em alto e bom tom e está gravado para quem duvidar que se um vereador não for corrupto, não sobrevive com esse salário. 

Odilom ainda tentou consertar mas acabou se complicando mais ainda. Sempre disse que o vereador Odilom é um bom orador e merece respeito por seus posicionamentos. Porém, ultimamente têm andado muito nervoso e incomodado. Até entendo a sua situação, pois defender um governo como esse é uma tarefa quase impossível


Sol do Carajás é homenageado na Câmara



Ontem, além dessa gafe, o vereador Odilom passou três minutos do seu discurso falando do Blog Sol do Carajás. Até tirou uma cópia e mostrou da tribuna. Depois falou que não se importava com esse blog, pois o que vem de baixo não lhe atingiria. É bom o vereador repensar seus conceitos e ouvir um pouco mais seus assessores. Com o respeito que tenho ao Odilom, vou conceder-lhe uma assessoria gratuita: às vezes o que vem de baixo incomoda e muito. Veja o exemplo do homem que sentou sobre um formigueiro. Se realmente o Sol do Carajás não tem importância vereador, o melhor é não citá-lo. Ao citar o nome de um blog ou de um blogueiro durante o seu discurso, mesmo sendo para atacar, está atribuindo grande importância e promovendo-o. Tenho certeza que hoje o Lindolfo bateu todos os recordes de acesso. Mas se quiser continuar citando o blog, recomendo que cite o Blogdoluizvieira também. Meus honorários de participação do Google engordarão minha conta bancária e eu agradeço.